2017/03/14

Notícias do dia

O novo LG G6 vai custar €749 na Europa; a TAG Heuer aposta num novo smartwatch modular; o Google Uptime deixa ver YouTube com amigos; o Eye adiciona um smartphone Android à traseira de um iPhone; e numa curta viagem até ao passado, descobrimos que nos anos 50 recomendavam queimar pilhas na lareira.

Antes de passarmos às notícias de hoje, não se esqueçam que o Apps do Android está a celebrar o seu aniversário e está a dar smartphones; e que esta semana também temos novo gadget para oferecer: um air mouse com teclado.

Alemanha quer multas de €50 milhões para redes sociais que não removam conteúdos abusivos



O Facebook e Twitter poderão estar prestes a ver as suas despesas europeias a aumentarem, caso a Alemanha avance com a proposta de aplicar multas de até 50 milhões de euros para as redes sociais que não removam conteúdos abusivos de forma célere.

Por célere a Alemanha considera remoção de conteúdos obviamente abusivos num prazo de 24, e de conteúdos que mereçam inspecção mais cuidada num prazo de 7 dias. Segundo um estudo, o Facebook apenas remove 33% dos conteúdos considerados abusivos no prazo de 24h, sendo que o Twitter fica ainda em piores lençóis: apenas 1% dos conteúdo abusivo reportado é removido, e nunca num prazo de apenas 24h.


Jogos PS4 chegam ao PC via PS Now



Em breve será possível jogar no PC alguns dos exclusivos da Sony PS4. Através do PlayStation Now, serviço de stream, os jogadores vão ter acesso a jogos mais recentes. Para esse efeito, a Sony vai distribuir uma versão beta (privada) durante as próximas semanas, a qual vai estar disponível para subscritores do PlayStation Now, e que será posteriormente alargada a todos os utilizadores - ou assim se espera.

O PS Now estava inicialmente previsto como uma forma de levar os jogos via streaming a praticamente todas as plataformas, incluindo Smart TVs, mas desde então a Sony preferiu moderar as suas ambições, e restringiu o serviço apenas à PS4 e PCs.


Allo pode revelar pesquisas que fizemos às pessoas com quem estamos a falar



A Google muito tem promovido o Allo como o serviço de mensagens a utilizar para substituir o Hangouts, e que até conta com o Google Assistant, mas agora descobre-se que o Assistant pode ser um pouco bisbilhoteiro e revelar coisas privadas às pessoas com quem falamos.

No Allo é possível acedermos ao Google Assistant durante uma conversação com outras pessoas. O problema ocorre quando lhe fazemos um pedido que pode ser mal interpretado, e em vez da resposta pretendida o Assistant responde fazendo referência a algo que se tenha feito antes. É certo que é uma situação algo rebuscada... mas certamente que ninguém gostaria de se ver na situação de ver uma pesquisa "sensível" ser revelada com quem não devia...


Facebook proíbe utilização dos seus dados para vigilância



Que o Facebook sabe muita coisa sobre os utilizadores, isso já sabemos; o que poderá não ser tão directo é que muitos destes dados podem ser obtidos indirectamente por outros serviços que tenham integração com  Facebook, e que leva a esta alteração dos termos de utilização do FB de modo a proibir que os developers utilizem estes dados para criar ferramentas de vigilância.

Uma alteração que surge no seguimento da descoberta de empresas que vendem serviços de análise de redes sociais que são vendidos às autoridade e outras agências, e que criam perfis sobre as pessoas e que depois poderão ser usados contra elas. No entanto, talvez a verdadeira questão seja: o Facebook proíbe que os seus dados sejam utilizados para vigilância dos utilizadores... enquanto por outro lado, continuam a fazê-lo.

Na dúvida, quem se preocupar com estas coisas já saberá que a melhor coisa será simplesmente nem sequer utilizar o Facebook.


Curtas do dia


Resumo da madrugada

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]