2017/08/10

Notícias do dia

A oferta de 2GB de dados do MEO é afinal um "presente envenenado"; carrinha "autónoma" tinha condutor escondido no banco (ao estilo do velhinho Knight Rider); quem procurar um novo disco para o backup das fotos das férias pode optar pelos discos WD Red de 6TB a €199 (e relembrar-se porque motivo temos que pagar taxa para os "artistas" por isso); Amazon está a honrar erro de $500 em objectiva da Sony; Tesla já tem hardware 2.5 melhorado para condução autónoma; e a Disney corta com Netflix para apostar em serviço de streaming próprio.

Antes de passarmos às notícias, esta semana temos novo gadget para oferecer: uma fita LED com sensor de movimentos para dar luz aos teus móveis (ou outros locais).

iPhone 8 conta com home button virtual programável



Uma das consequências resultantes da utilização de um ecrã que ocupará "100%" da superfície frontal do próximo iPhone 8 será o abandono do tradicional Home Button que tem servido como imagem de marca desde o primeiro iPhone. Desde o primeiro iPhone que esse botão tem evoluído, primeiro com a integração de um sensor Touch ID, mais recentemente com o abandono do botão físico passando a ser unicamente sensível à pressão e, daqui por mais uma semanas, desaparecerá completamente no iPhone 8.

Novos dados vêm revelar o que já se suspeitava, de que no iPhone 8 teremos uma zona reservada para a utilização do home button virtual, mas que poderá desaparecer no caso de jogos, vídeo, etc. Algo que a Samsung também já fez no Galaxy S8, e onde até dá uso à detecção de pressão, para diferenciar entre um "toque" normal e um toque mais carregado que faça regressar o utilizador ao home screen (e no iPhone 8 é de esperar algo idêntico).

... Isto sem esquecer que muitos Android já se despediram do botão físico há muito... mas por vezes podendo obrigar a um gesto de deslizar para os fazer aparecer em situações em que fiquem escondidos (como jogos, etc.)


Uber ganha mensagens entre passageiros e motoristas



Em vez das chamadas telefónicas, a app da Uber passa a disponibilizar o envio de mensagens entre passageiros e condutores, evitando o recurso às chamadas telefónicas (que algumas pessoas poderão querer evitar para manterem o seu número privado - mesmo se nos EUA isso é evitado usando números de telefone reencaminhados).

Do lado do condutor, as mensagens são lidas em voz alta para minimizar distracções, e o condutor pode facilmente responder com um "thumbs up" com um só toque, para sinalizar que recebeu a mensagem.



Surfaces da Microsoft perdem recomendação da Consumer Reports



Os Surface da MS são considerados excelentes máquinas, mas não tão excelentes quanto seria desejado. A Consumer Reports norte-americana acaba de os despojar do carimbo de "recomendados" devido a preocupações com a sua fiabilidade.

Segundo as estatísticas, após dois anos de utilização, 25% dos donos de Surface já se terão deparado com problemas, deixando-o na pior posição face a marcas rivais (a Apple distancia-se na primeira posição, com apenas 10% de relatos de problemas, a Samsung fica em segundo com 16%). A ter em conta, no momento de escolher o próximo computador.



Serviços como a Uber desincentivam compra de carro próprio



Não é a primeira vez que temos estudos a comparar custos de ter um carro próprio com a utilização de serviços práticos de utilizar (como a Uber e equivalentes), mas mais uma vez surge um que diz que estes serviços podem levar à redução da compra de carro próprio.

Claro que cada caso é um caso, com inúmeras variantes a terem que ser consideradas (a começar pelo factor "disponibilidade" dos veículos, que terá que ter um nível suficiente para dar confiança na sua dependência)... e por outro lado há que considerar que o custo do serviço terá que ser sustentável para quem o fornece (motoristas, Uber, etc.) Mas... inevitavelmente, será algo que se tornará ainda mais atractivo (economicamente) com a chegada dos carros autónomos.


Curtas do dia


Resumo da madrugada

3 comentários:

  1. O botão home virtual no iPhone 8 faz sentido. Há uma série de funções que dependem dele. E porque não ser também Touch ID?
    Andou-se a falar que todo o ecrã seria Touch ID.
    Depois que não senhor, que o ecrã oled não permitia e, patati patatá, que o reconhecimento visual é que era.
    Mas uma zona específica do ecrã, a do botão home virtual, não pode ter Touch ID?
    Nos modelos mais recentes também já não é um botão físico (não mexe).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A questão é que nem a Apple "faz milagres" e está dependente do que os fabricantes de componentes conseguirem fazer e fornecer. Se calhar com mais 3 ou 4 meses de tempo, conseguiriam fazer o Touch ID no ecrã (e quem sabe, até talvez façam a surpresa de o ter feito)... mas se calhar preferem não arriscar com algo feito à pressa e que possa vir a dar barracada...

      Vamos lá ver que tal se safam com o "Face ID"...

      Eliminar
    2. Muito sinceramente não vejo utilidade nenhuma em ter o Touch ID em todo o ecrã. Além de que é uma tecnologia muito complexa - com seis componentes. Como é que se colocam seis camadas por baixo do ecrã, - e isto admitindo que o ecrã oled não prejudicava os sensores?
      Agora, na zona do botão home virtual parece-me possível.
      Uma coisa é certa - não o colocaram na parte de trás :)

      Eliminar

[pub]