2018/01/02

Notícias do dia

Neste início de 2018, começamos com a recomendação de trocar o Messenger pelo Messenger Lite; revimos o o ano "Android" de 2017 (sem esquecer a promessa cumprida pela Xiaomi, com o Mi A1 a receber Android 8 no último dia do ano); passamos pelo trágico caso de swatting que resultou na morte de um inocente; a UE escondeu (outro) estudo que concluiu que agregadores de notícias são positivos para os sites noticiosos; vimos uma câmara de vigilância num carregador USB por €18; no Dubai o Burj Khalifa trocou fogo de artifício por iluminação para entrar em 2018; a Xiaomi revela coluna Yeelight com Alexa; vimos uma Grua de 7.5m em LEGO que consegue levantar cadeiras; o Galaxy Note 8 volta a enfrentar problemas de bateria; e ainda o alerta para se ter cuidado com as apps que ficam à escuta.

Dito isto, e enquanto continuamos a processar os resultados do nosso mega-passatempo de Natal e final do ano (amanhã começarão a ser anunciados e contactados os vencedores), fiquem com as notícias do dia - e não deixem de espreitar que tal se comportam os melhores topo de gama do mercado em termos de estabilização de imagem face a vibrações. :)

Clientes de electricidade no mercado livre podem voltar ao regulado




A conta da electricidade que supostamente ia descer vai afinal aumentar para milhões de portugueses, e o único consolo que é dado é a de que, quem não estiver satisfeito, poderá regressar ao mercado regulado para poupar alguns euros por mês.

A par do aumento brutal da mensalidade fixa da "taxa de potência contratada" - a tal que veio trocar o nome ao antigo aluguer dos contadores, que passou a ser ilegal - esta é apenas mais uma das medidas que demonstra o total falhanço na tentativa de "desregular" o sector: a admissão de que os consumidores continuam a estar melhor servidos no "regulado" do que acreditando que o sector teria empresas suficientemente saudáveis para criar um sector verdadeiramente concorrencial.

Ainda assim, em vez de admitir essa derrota, não seria melhor olhar para os motivos que levam a este retrocesso e corrigi-los, em vez de ir prolongando a "solução fácil"? (E já agora, como primeiro passo, porque não facilitar e promover que os consumidores pudessem adoptar os seus próprios sistemas de geração de energia - renováveis - e pudessem dispensar por completo o serviço de um operador. ;P)


Facebook não consegue seguir as suas próprias regras de censura



Que existem conteúdos que não têm lugar em qualquer plataforma online, disso não temos dúvidas (bastará olhar os comentários de alguns sites de notícias), mas o Facebook está a descobrir em primeira mão que até determinar o que é inaceitável é uma tarefa mais difícil do que podia imaginar.

Um estudo sobre alguns dos conteúdos removidos/aceites demonstra que até os censores humanos do Facebook cometem erros em praticamente metade dos conteúdos analisados, permitindo coisas manifestamente ofensivas e incitadoras de ódio mas que aparentemente ainda seriam consideradas aceitáveis.


Investigadores criam AI para analisar imagens do Street View e determinar níveis sociais



As imagens do Street View já estão a ser usadas para mais do que simplesmente nos deixarem "espreitar" qualquer ponto de uma cidade (a Google utiliza essas imagens para identificar estabelecimentos e números de porta), mas as possibilidades vão bem para além disso. Investigadores criaram uma AI capaz de identificar as marcas e modelos de automóveis nas imagens, usando-as para determinar o nível social de diferentes áreas.

Com essas análises, é igualmente possível determinar não só os níveis de rendimentos como também as potenciais intenções de voto, o que se tornará informação muito valiosa numa altura em que as campanhas vão apostando cada vez mais em tácticas ultra-direccionadas e personalizadas para cada eleitor...

Sem dúvida que vamos ter anos interessantes pela frente.


Curtas do dia


Resumo da madrugada





3 comentários:

  1. Relativamente à "curta" sobre electricidade penso que é fulcral o que é dito no último parágrafo. Posso cultivar a minha terra para comer. Posso beber a água do poço que tenho no terreno e usá-la para outras coisas. Não posso usar o sol ou vento que o meu pedaço de terra recebe em exclusivo para mim como forma de deixar de levar com edps e afins. Não me entra na cabeça.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou por fora. Quem quiser montar uma série de painéis solares para alimentar os seus próprios equipamentos elétricos não o pode fazer?

      Eliminar
    2. Podes... mas continuas a ter que pagar a "renda" a um fornecedor de energia eléctrica.

      Eliminar

[pub]