2015/12/29

RedStar OS da Coreia do Norte mantém os utilizadores sob vigilância constante


Enquanto no Ocidente vão aumentando as desconfianças quanto aos sistemas operativos, na Coreia do Norte isso é ponto assente com o seu RedStar OS, que nem sequer se dá ao trabalho de esconder a sua função de manter os utilizadores sob vigilância constante.

O RedStar OS é o sistema operativo utilizado e promovido pela Coreia do Norte, que é baseado no Fedora 11 (embora utilize um kernel mais recente, de 2011). É um sistema que à superfície mantém o tipo de programas e funcionalidades que se esperaria de um sistema operativo normal, incluindo programas de produtividade e um browser (um Firefox modificado)... mas que também vem com um conjunto de extras que torna realidade os piores receios de qualquer pessoa que valorize a liberdade e privacidade.

Este sistema operativo conta com um sistema de protecção anti-modificação; mas que em vez de ter como objectivo as possíveis infecções por vírus, neste caso pretende ser uma forma de evitar que os utilizadores modifiquem ficheiros do sistema de modo a alterarem o seu funcionamento. Assim que o sistema detecta que um ficheiro de sistema é modificado, faz um reboot imediato para tentar repor o ficheiro original.

Para além disso, sempre que alguém insere uma pen USB num destes computadores, é criado um registo nos ficheiros que permite rastrear quem viu ou teve acesso a esses conteúdos. Um ficheiro que seja considerado suspeito conterá assim um registo de todos os computadores pelos quais já passou, permitindo identificar os seus utilizadores.

Nem o próprio sistema de encriptação (AES) resistiu às alterações norte-coreanas, provavelmente para se precaverem contra a eventualidade do sistema conter uma qualquer vulnerabilidade ou backdoor que permitisse o acesso aos dados pelos governos de outros países.

... Enfim, um panorama desolador que bem se gostaria de ver erradicado em 2016. Mas mais preocupante será que muitos outros países provavelmente estejam a olhar com inveja para este RedStar OS e a desejar que também os seus cidadãos usassem algo idêntico.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]