2016/02/25

Google desafia fabricantes a repensar discos rígidos para a cloud


Porque motivo temos discos de 3.5" e 2.5"? Como grande consumidora de discos à escala mundial, a Google lança um desafio para que os fabricantes de discos rígidos recomecem do zero e criem uma nova geração de discos à medida da cloud.

Os discos rígidos continuam a ser parte essencial dos nossos computadores, mas se no caso de um utilizador convencional um único disco de 2 ou 4TB será suficiente para durar muitos e longos anos (quando muito comprando mais um ou dois, para efeitos de backup ou expansão) no caso de empresas como a Google, a quantidade de discos que utilizam é "astronómica" e necessita crescer diariamente - só para o YouTube fala-se de algo como adicionar um Petabyte a cada dia!

Até ao momento, a opção tem sido recorrer aos discos rígidos existentes, que mesmo nas suas versões empresariais têm as suas origens em modelos destinados para o público, mas a Google acha que está no momento de desafiar os fabricantes de discos a criarem discos concebidos de raiz para os data centers e a cloud.

A Google levanta várias perguntas pertinentes, como por exemplo, o facto dos discos manterem o formato que têm (3.5") e as suas dimensões, que têm origem no espaço disponível nas baías dos computadores. Numa altura em que os data centers absorvem cada vez maior percentagem da produção de discos mundial, não seria vantajoso deixar cair esta "tradição"? A Google vai mais longe e avança com diferentes sugestões, como a possibilidade de se criarem discos bastante mais altos, que contenham muitos mais pratos no interior, como forma de reduzir os custos e maximizar a eficiência. E também repensar toda a estrutura de correcção de erros, que deixaria de ser tão crítica de ser feita disco a disco, uma vez que essa função estaria a ser gerida a nível superior, com informação replicada em diferentes discos (e diferentes data centers).


Parece-me que este será o caminho a seguir, enquanto que do lado dos consumidores, a opção pelos SSDs se torna cada vez mais viável (embora isto não signifique que deixem de haver pessoa que gostarão de ter as suas "mini-clouds" privadas em casa e a gostarem de ter acesso a vários terabytes de espaço para armazenarem o que for preciso. :)

5 comentários:

  1. Já tenho dito que foi uma estupidez acabarem com os discos de 5-1/4" pois tem muito mais espaço disponível por prato e o tempo de acesso não é tão crítico.

    ResponderEliminar
  2. Raios... Com tamanha capacidade financeira, porque é que a Google não adquire logo uma empresa de fabrico de discos rígidos?

    ResponderEliminar
  3. Um sistema tipo Lego auto-configurável.
    Ter um disco e espaço na vertical para adicionar mais (vai de encontro à ideia da Google adicionar mais pratos).
    Se o primeiro disco for de 1Tb, podiamos colocar um novo de 1Tb no topo e o sistema configurar-se-ia para 2Tb e assim sucessivamente até onde as limitações técnicas e de espaço permitissem.

    ResponderEliminar

[pub]