2016/03/10

Screening Room quer estrear os filmes de cinema em casa por $50


A tecnologia tem a "infeliz" tendência de vir baralhar as coisas que certos interesses gostariam de manter como estão; e o Screening Room é a proposta de um novo serviço que permitir ver um filme do cinema em casa, logo no dia da sua estreia.

O Screening Room poderia ser apenas mais uma ideia maluca que pudesse ser prontamente descartada e atirada para o lado; não fosse o facto de ser o mais recente projecto de Sean Parker, que já abalou a indústria da música com o Napster e mais tarde ajudou que o Facebook se tornasse naquilo que é actualmente.

A ideia é extremamente simples e vem simplesmente dar resposta a algo que o mercado deseja mas que continua por satisfazer: a possibilidade de ver um filme "do cinema" em suas casas. Sean Parker quer fazer com que isso seja algo comum e acessível, propondo a visualização de filme logo na sua data de estreia mediante o pagamento de 50 dólares - um valor que não é propriamente barato, mas que acaba por ser relativamente acessível se se considerar um grupo de 4 ou 5 pessoas.

A questão é que, se tecnicamente não há problemas, há todo um outro conjunto de problemas que está relacionado com a forma como a indústria do cinema está montada, e onde as cadeias que detêm as salas de cinema fazem exigências quanto aos prazos em que os filmes terão que ficar exclusivamente nos cinemas e quando é que poderão passar para os serviços de streaming, TV, bluray, etc. Para isso este Screening Room tenta amenizar um pouco as coisas, com propostas como a oferta de dois bilhetes de cinema quando um cliente pague os $50 para ver um filme, de modo a que isso os faça ir ao cinema (e potencialmente comprar pipocas ao preço inflacionado que é praticado)... mas não será fácil fazer com que os cinemas aceitem esta concorrência.

Enquanto não o fizerem... é bom que não se esqueçam que não é por um filme não estar disponível legalmente que o mesmo deixa de surgir nas redes pirata, mesmo quando se trata de uma versão sem qualidade, filmada numa sala de cinema e onde se vêem as cabeças das pessoas na fila da frente. Quanto mais depressa chegarem à conclusão que a solução é disponibilizar formas legais e acessíveis do acesso aos conteúdos, e adaptarem-se a esta nova realidade, melhor.

6 comentários:

  1. Que filme é que vale a pena gastar $50 dólares ???? Assim de repente não estou a ver nenhum que me fizesse pagar essa quantia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, mais vale piratiar os filmes, sai mais barato!

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    3. Mas já agora digo-te que se calhar devo contribuir muito mais para o cinema do que tu porque para além de ter um pacote de canais na NOS pago tb os canais de filmes extras e ainda a Netflix! E tenho visto quase todos os filmes do IMAX. Antes de comprar o Gear vr costumava ver mesmo todos os filmes que passavam no Imax mas agora já só veja os melhores porque alguns não compensa ir ao cinema e prefiro ve-los em casa. Já para não falar que paguei tb aquela taxa quando comprei o disco externo de 5 TB. Portanto acho que se a maioria das pessoas contribuíssem como eu para o cinema podes crer que seria bastante mais rentável ainda!

      Eliminar
    4. Agradeço que não usem os comentários para qualquer tipo de ataques pessoais (ou respectivas respostas aos mesmos), senão não me restará alternativa a não ser eliminá-los.

      Eliminar
  2. Qualquer que pessoa que tenha por hábito ir com a família ver filmes sabe que facilmente se chega a esse valor. (pai, mãe, 2 filhos, deslocação, eventuais pipocas/lanche/almoço/jantar/etc - e então se for no caso do IMAX, isso vai logo tudo quase directamente no preço dos bilhetes...)

    ResponderEliminar

[pub]