2016/07/20

Lâmpadas "inteligentes" da Connected by TCP perdem a inteligência e servem de alerta para a Internet of Things


Quem tiver lâmpadas da Connected by TCP irá descobrir que as funcionalidades avançadas de controlo via cloud deixaram de existir, pois o serviço decidiu "repensar a sua estratégia".

A Internet of Things promete-nos um mundo maravilhoso em que tudo está ligado à internet e pode ser controlado remotamente, mas não nos fala de que isso nos deixa dependentes de serviços que poderão não ter a longevidade que se espera. No caso da Get Connected, a empresa diz que foi forçada a repensar a sua estratégia, descontinuando o serviço de acesso via internet e também as actualizações à app de controlo das lâmpadas. Os utilizadores poderão continuar a usar a app actual para controlar as lâmpadas localmente via WiFi, mas caso tivessem optado por este produto devido às funcionalidades de controlo remoto... azar!

É este o grande perigo da Internet of Things, que dá a entender que todas as coisas simplesmente funcionam sem que o utilizador se tenha que preocupar com nada, mas que na realidade estão dependentes de um conjunto de serviços que pode ser muito mais frágil do que se possa pensar. Muitos produtos de marcas menos conhecidas assentam em plataformas de comunicação que poderão igualmente "repensar a estratégia" e deixar milhares ou milhões de pessoas penduradas; e também não será difícil imaginar que uma qualquer aquisição de uma destas empresas também possa vir acompanhada do encerramento do serviço e/ou a sua transposição para outro que poderá ter condições menos interessantes. E nem sequer as grandes empresas estão livres, como recentemente se assistiu no caso da TP-Link e do esquecimento de renovar alguns domínios.


Neste caso destas lâmpadas ditas inteligentes, os utilizadores poderão dar-se por satisfeitos por ainda as conseguirem controlar a partir da sua própria rede WiFi. Mas, avancemos mais meia dúzia de anos, e é bem provável que a app que hoje ainda funcione venha a deixar de funcionar devido a qualquer nova exigência de segurança dos futuros sistemas operativos; e nessa altura restará aos utilizadores a possibilidade de acenderem e apagarem as luzes usando apenas o interruptor de parede... e nesse ponto, qual a diferença entre estas lâmpadas inteligentes e qualquer outra lâmpada burra que se poderia ter comprado por uma fracção do preço?

5 comentários:

  1. Quem procura este tipo de equipamentos, deve procurar equipamentos certificados com Apple HomeKit.

    Para ser aprovado e funcionar com o protocolo, tem de atender aos requisitos de segurança da Apple, que são bastante rígidos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ... Porque tudo o que é Apple vai durar para sempre

      Eliminar
    2. Não é Apple.

      E sim, quando a Apple abre uma plataforma, não é como a Google, é para durar!

      Eliminar
    3. Nada dura eternamente, e a única forma de não ficar dependente de nenhum fabricante é garantir que se utilizam protocolos abertos, que poderão ser usados mesmo que o fabricante "mude de ideias" no futuro.

      Eliminar
  2. Uma Fritzbox configurada com um servidor VPN e a App cliente de VPN para o telemóvel, e podem continuar a usar as lâmpadas... ;)

    ResponderEliminar

[pub]