2016/08/29

Falta de actualizações para Android 7.0 - de quem é a culpa?


A cada lançamento de uma nova versão do Android, há sempre equipamentos que ficam esquecidos. Desta vez, com o Android 7.0 Nougat, a questão voltou a repetir-se e com maior impacto: modelos populares como o Nexus 5, Xperia Z3, Galaxy S5 ou LG G3 são terminais que ficam pelo caminho, morrendo oficialmente com o Android 6.0 Marshmallow.

Estes smartphones têm em comum o processador, o Snapdragon 800/801 da Qualcomm. Sabendo-se que tradicionalmente os equipamentos com Snapdragon tinham melhores hipóteses de receber actualizações (face aos MediaTek, por exemplo), é inevitável que surjam as perguntas e se a falta de actualizações para o Android Nougat será culpa deles. Mas a Qualcomm refere que nenhum OEM sequer a contactou, provavelmente por se tratarem de modelos que já atingiram o "fim do prazo" no que diz respeito às actualizações supostamente garantidas.


Se tivermos em conta que a Sony surpreendeu ao apresentar um firmware de testes do Android Nougat a correr no Xperia Z3, há algo que não bate certo na explicação da Qualcomm. Zingo Andersen da Sony Mobile refere no Google+ que se trataram de razões técnicas e legais. Já Ola Olsson, diz que não quer entrar num jogo de lançar as culpas para o outro lado, razão pela qual não pode avançar com mais explicações relativamente aos aspectos técnicos. Uma coisa era certa, o firmware usado no Xperia Z3 não seria capaz de passar no Compatibility Test Suite da Google, pelo que o seu lançamento oficial estaria fora de questão.

Em termos de suporte, o Android 7.0 Nougat vai funcionar num conjunto bastante alargado de hardware. Olhando para o terminais que ficam excluídos, não será uma questão de desempenho, pois teremos equipamentos com o Snapdragon 410 a correr a nova versão do Android.

Há quem avance com teorias de que a decisão possa ter a ver com as capacidades de encriptação dos chips. No Android 6.0 a encriptação (opcional) era feita à partição, ao passo que no Android 7.0 passa a ser feita ao nível do ficheiro, a qual será possivelmente obrigatória. O suporte à encriptação por hardware só chegou com os ARMv8, especificação que abrange os Snapdragon 410. Ficou mais que provado que a encriptação por software não era opção, devido ao baixo desempenho do equipamento, sendo esta muito provavelmente a razão para que o Nexus 5 e afins fiquem pelo caminho - mas não explicando porque motivo o Nexus 6, que tão mal se comportava nesse campo, tenha direito ao Android 7.0.

Outros referem que para o Android 7.0 será necessário que o chip tenha capacidade para suportar a aceleração gráfica Vulkan por hardware, e que isso também elimina, logo à partida, todas as gerações mais antigas - mas também não deixando de parecer uma decisão algo polémica... pois mesmo se isso fosse desejável, seria mais que justificado mostrar algum respeito e consideração pelas centenas de milhões de equipamentos no mercado, e que agradeceriam a esperança de poder receber o Android 7.0. (E a própria documentação do Android refere que para se ter acesso ao Vulkan é preciso ter um dispositivo que o suporte... o que implicitamente faz antever a possibilidade de se correr o Android 7.0 em dispositivos que não o suportem.)


Seja como for, parece ser mais que certo que, daqui por um ano, a percentagem de mercado do Android 7.0 continuará a ser bastante reduzida; adiando para o Android 8 (ou 9) a chegada de um qualquer sistema milagroso que permita fazer chegar as novas versões Android a maior número de dispositivos em tempo útil.


Por: Luis Costa

7 comentários:

  1. Não é uma crítica ao AadM e sim aos inevitáveis comentários justificativos de mais um abandono de actualização de flagships: É curioso que se os Androids não são actualizados o problema é técnico ("o chip não tem a capacidade para suportar a aceleração gráfica Vulkan por hardware" ou "porque a encriptação (opcional) era feita à partição, ao passo que no Android 7.0 passa a ser feita ao nível do ficheiro") já se a Apple deixa de suportar o iPad 2 (de 2011) é "obsolescência programada" da Maçã do Mal.
    PS: Só lembro que o Nexus 5 foi lançado na mesma altura do iPhone 5s, mas este último, ao contrário do dispositivo da Google, será actualizado para o iOS 10.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São constatações, não se trata de uma justificação. Quem tem de se justificar são os responsáveis pelo processo, o qual está bem claro no caso dos Nexus:

      "Os dispositivos Nexus recebem as atualizações das versões do Android por um período mínimo de dois anos após a disponibilização dos mesmos na Google Store. Após o período de dois anos, não podemos garantir atualizações adicionais."

      http://abertoatedemadrugada.com/2016/06/google-esclarece-ate-quando-cada-nexus.html

      Eliminar
  2. Certamente o meu Moto X2 não vai receber o Android 7.0, mesmo tendo capacidade pra roda-lo numa boa e com folga...Falar uma coisa, esse será o meu último Android. Cansei de ser feito de trouxa a cada"dois em dois anos"...Ainda bem que exite a Apple.

    ResponderEliminar
  3. Para mim, é tudo uma questão de mercado...

    ResponderEliminar
  4. Iphone 5 com 4 anos de existençia ainda vai rolar o novo Ios 10 , e isso pagasse a marca !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois...
      Depois faz como a maioria dos users com telefones Apple mais antigos:
      Queixam-se da lentidão...

      Eliminar
  5. Mas pelo menos está atualizado, capado, mas atualizado...

    ResponderEliminar

[pub]