2016/09/12

MIT cria câmara capaz de ver páginas de livros fechados


Preservar os livros históricos é importante, mas como lidar com exemplares em que o simples acto de os abrir os pode danificar? Que tal uma câmara capaz de digitalizar as suas páginas sem sequer os abrir?

O MIT já nos tem mostrado inúmeros projectos que nos mostram tecnologias futuristas, como câmaras capazes de nos mostrar a própria luz em mover-se. Neste caso, temos uma câmara que usa radiação terahertz, e que permite distinguir entre tinta e papel, incluindo a capacidade de diferenciar entre diferentes páginas de um livro fechado.

Por agora o sistema só consegue ver uma profundidade máxima de cerca de 20 páginas e ter precisão para detectar caracteres em apenas 9, mas os investigadores acreditam que, com o desenvolvimento de emissores e detectores melhorados, estes limites poderiam ser bastante ampliados, permitindo criar um sistema de digitalização que seria de valor incalculável para museus e outras entidades que necessitassem de analisar e preservar livros e documentos antigos.

Diz-nos a evolução tecnológica que será apenas uma questão de tempo até que coisas deste tipo se tornem tão comuns que possam estar acessíveis a todos (quem sabe, até integrado nas câmaras dos nossos smartphones ou dispositivos que os vierem a substituir no futuro, sejam eles smartglasses ou lentes de contacto digitais)... Pelo que se calhar, iremos mesmo ter a tão desejada "visão de raios-X" e deixar de ter inveja do Super-Homem. :)


Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]