2016/10/25

Investigadores fazem cair drone alterando componentes impressos em 3D


A maior parte dos ataques digitais tem-se restringido ao mundo virtual, mas há que estar alerta para a potencialidade desses ataques terem consequências bem notórias no mundo real - e temos mais um caso que relembra essa possibilidade, tendo como alvo as impressoras 3D e tudo aquilo em que as peças delas resultantes forem aplicadas.

Já temos visto alguns casos de hackers a interferirem com automóveis; mas neste caso estamos perante um caso que é simultaneamente mais simples mas não menos preocupante. Em versão resumida este ataque consegue fazer cair um drone, mas para isso segue uma sequência de procedimentos (e pressupostos) que passam por: ganhar o acesso a um computador usando phishing; procurar potenciais modelos 3D que serão impressos; descarregar esses ficheiros e alterar os modelos de forma a que contenham fragilidades estruturais que não sejam visíveis a olho nu; e reenviar os modelos adulterados.

Neste caso a sabotagem centrou-se sobre um modelo de uma hélice para um drone, na qual foram adicionadas buracos internos na parte de junção da hélice ao eixo, e que fizeram com que a hélice se partisse passados poucos minutos de voo, resultando na queda do drone.

No fundo não é nada de novo e que não se pudesse aplicar, há muito, a qualquer outra máquina de produção industrial. Aliás, basta relembrar o Stuxnet, que também tinha como missão sabotar o funcionamento de equipamento industrial (e que o terá feito com sucesso). Serve no entanto para relembrar que o potencial para os hackers pode facilmente saltar das consequências puramente digitais para consequências bem mais físicas; e que portanto convém ter cuidados redobrados em situações onde isso possa acontecer.


1 comentário:

  1. Essa é a coisa mais tosca que eu já vi. Eu imagino quanto trabalho o hacker teve em invadir o computador de uma pessoa específica num momento específico pra mudar um pedaço específico de um projeto específico. Na prática se os arquivos fossem passados por cartão SD ou Bluetooth acho difícil o hacker conseguir fazer as mudanças a tempo. Sem falar que o dano á pessoa prejudicada é ridículo. A chance de que isso aconteça com qualquer pessoa comum é muito remota, e se eu fosse o hacker eu tentaria invadir e obstruir a programação da placa de modo a fazer a impressora se danificar e dar perda total no PC. Drone é besteira.

    ResponderEliminar

[pub]