2016/11/20

Boom vai criar aviões supersonicos comerciais


Mais de uma década depois do Concorde ter voado pela última vez, a Boom prepara-se para dar início a uma nova era dos voos supersónicos comerciais, e já tem o primeiro protótipo pronto para demonstrar que a sua tecnologia consegue cumprir com o prometido.

O Concorde foi resultado de um projecto nascido há muitas décadas atrás, em que o desejo de mostrar a capacidade tecnológica se sobrepunha a tudo o resto. O avião era impressionante tecnologicamente, mas era também pouco prático, barulhento, e gastando mais combustível que aviões capazes de levar mais de quatro vezes o seu número de passageiros.

Mas a Boom diz ter a tecnologia para criar um novo avião supersónico, capaz de voar a Mach 2.2 e atingir os níveis de eficiência necessários para se tornar economicamente viável.

Por agora o modelo apresentado é um avião em escala reduzida, para apenas dois tripulantes, e que servirá como plataforma experimental para demonstrar que tanto os materiais de construção como os motores conseguirão atingir o desempenho pretendido. Os primeiros voos de teste começarão em 2017 e, se tudo correr bem, daqui por mais alguns anos voltará a ser possível levantarem-se para irem almoçar a Nova Iorque e regressarem a tempo do jantar (a Boom diz que um voo entre Londres e Nova Iorque demorará apenas 3h15 em vez das 7h actuais, com bilhete que custará 2500 dólares.)

Há interessados? :)

/

3 comentários:

  1. Tendo em consideração como terminou o Concorde, o nome escolhido não foi o melhor...

    ResponderEliminar
  2. O Futuro da aviação civil vai passar pela entrada em orbita encurtando muito as viagens que atualmente demoram 12 h e mais .

    ResponderEliminar

[pub]