2017/01/20

2017 - o ano em que o iPhone perde os números?


Muitos têm sido os rumores quanto às coisas que a Apple estará a preparar para o novo iPhone, mas uma que tem ficado esquecida é: será desta que a Apple se vai livrar da designação numérica que vai atingindo patamares ridículos?

Estamos no ano do décimo aniversário do iPhone, e no qual se espera a chegada de um iPhone "milagroso" que volte a reacender as chamas da paixão entre todos os fãs que têm ficado desapontados com as melhorias evolutivas dos últimos anos, bem vindas mas que deixam sempre um espaço para "algo mais" que está em falta.

Internamente, este novo iPhone parece ser designado por iPhone X, o que seria adequado para o marcar o 10º aniversário. Mas o que nos interessa é saber se, quando chegar ao mercado, a Apple irá continuar a manter a mesma designação e apresentar-nos um iPhone 8, ou mudar as regras e aplicar a fórmula já aplicada aos iPads, trazendo-nos iPhones segmentados em gamas Air, Pro, etc. e descartando a numeração.

A alteração faria sentido (aliás, uns até já esperariam que a Apple o fizesse o ano passado, por altura do iPhone 7) a qualquer momento, mas também poderá ser propiciada pela potencial ultrapassagem dos modelos Galaxy S da Samsung no próximo ano. Caso a Apple mantenha a táctica actual, no próximo teríamos um iPhone "8S"... que teria que competir com o Galaxy S9. E mesmo sabendo-se que isso em nada afectaria as máquinas, para algumas pessoas um "S9" poderia ser mais atractivo que um "8S". Se duvidam, basta relembrar que a Samsung optou por saltar do Galaxy Note 5 para o Note 7 - infelizmente com consequências com as quais não contava - isto para que os clientes não ficassem baralhados com o facto do Galaxy Note 6 ser um modelo ainda mais recente que o Galaxy S7.

Numerações e designações à parte, o que interessa é que este novo iPhone esteja à altura das expectativas ou, idealmente, as supere. Sendo que, com tantos rumores e tecnologia aparentemente milagrosa que tem sido atribuída ao iPhone "8"... não será fácil fazê-lo. Por outro lado, a Apple já surpreendeu tudo e todo quando se aventurou a duplicar a resolução com os seus ecrãs retina, numa altura em que se pensava que isso ainda não seria possível. Com vários fabricantes a acelerarem já no sentido de nos trazerem smartphones com ecrã a ocupar quase 100% da área frontal, vamos lá ver se a Apple ainda tem essa capacidade de nos surpreender.

3 comentários:

  1. O iPhone tem tido inovações notáveis no hardware e nos sistema operativo. No design e de dimensão do ecrã também tem havido diversidade.

    Agora, tem havido um factor de continuidade muito grande. Tudo é facilmente reconhecível, mesmo para quem passa de um iPhone 3Gs para um iPhone 7. Acho que tem sabido manter o equilíbrio entre inovação e continuidade.

    "Ah, mas o iPhone 7 é igual ao 6s e ao 6". Tão igual que bate os records de benchmark. "Ah, mas não mexeram no design, tenho um 7, é o último modelo e gostava que as pessoas olhando soubessem que tenho o último modelo". Pois, mas as pessoas com o 6 ou 6s também são capazes de gostar que não têm um modelo "antigo".

    Não me parece que o 8 saia desta linha, de continuidade. É provável que tenha um ecrã oled, se houver ecrãs que cheguem. Quanto à numeração, isto do número ou das letras tanto faz. É verdade que a Microsoft passou do Windows 8 para o 10, que a Samsung explodiu do Note 5 para o 7. A Apple passar para o iPhone X (dez) não é impossível.

    ResponderEliminar
  2. quase de certeza que nao vai passar de um iphone 7s com o mesmo design, e as únicas mudanças vai ser um novo cpu e uma nova camera

    ResponderEliminar

[pub]