2017/03/27

Netflix é o novo "Inimigo nº1" de Hollywood


Há uma nova ameaça a preocupar Hollywood, e desta vez não são os piratas nem os downloads ilegais, mas sim a Netflix e o seu sucesso.

A Netflix pode ter começado por licenciar os conteúdos de refugo dos diversos estúdios, apostando na ideia maluca de os fazer chegar aos seus clientes via internet, para que os pudessem ver como e quando quisessem; mas desde então foi acumulando milhões de clientes e tornando-se num dos maiores colossos da indústria e distribuição de filmes e séries. No entanto, o que mais preocupa Hollywood é o facto da Netflix ter passado a produzir conteúdos próprios a uma escala sem precedentes, e que tem abalado todo o sector.

São muitos os executivos que a Netflix tem "roubado" aos estúdios tradicionais e, disposta a investir mais de 6 mil milhões de dólares este ano em 70 produções originais, também argumentistas, realizadores e actores esperam ansiosamente pela oportunidade de se juntarem à família Netflix. Para os restantes estúdios, desde logo as queixas de que os valores pagos pela Netflix estão a estragar o sector, pois agora temos actores de séries de TV que esperam ser pagos em valores que anteriormente eram reservados apenas para o cinema; e a própria falta de mão de obra, pois a Netflix não tem falta de trabalho para lhes oferecer, incluíndo séries de TV com produções onde cada episódio ascende a quase 10 milhões de dólares, como é o caso de The Crown.

Claro que estas guerras também têm consequências; e do lado da Netflix será cada vez mais difícil obter acesso a conteúdos dos outros estúdios que se sentem intimidados por eles; o que por um lado resultará num catálogo mais reduzido para os seus clientes... e por outro lado servirá de incentivo para que apostem ainda mais nas produções próprias. Dito isto, também haverá produtores que vêem a Netflix como canal privilegiado de fazer chegar os seus conteúdos a milhões de pessoas em todo o mundo, pelo que as questões raramente são a "preto e branco" e há que pesar muitos prós e contras.

Nem que seja pelo facto de ter vindo preocupar e "abanar" Hollywood, a simples existência da Netflix já merece ser aplaudida e apoiada.

1 comentário:

  1. Som assinante do Netflix em português (e em "americano" via ExpressVPN).
    Para além da parte do "sim senhor, o Netflixl é uma grande coisa", os reparos;
    - O Netflix "americano" tem um catálogo maior, seja por causa dos direitos (quando compram não abrangem todos os países, porque os produtores também vendem a outros distribuidores de conteúdos como os operadores) seja por causa da tradução.
    - Os conteúdos próprios do Netflix são em geral de qualidade, mas abreviam séries por causa das audiências que mereciam continuar.
    - O que compram a outros produtores em geral é fraco.
    Por causa disto há quem diga que uma assinatura de um mês em cada semestre chegava para ver o que vale a pena.
    - Além disso, há outros produtores de conteúdos que se quer ver e são de outros produtores - e não há dinheiro para pagar a todos, e por isso ...
    Se houvesse uma assinatura, em conta, abrangendo todos os produtores de conteúdo, alinhava (outros não, mas não considero que tudo â borla seja um bom princípio).

    ResponderEliminar

[pub]