2017/04/23

Rússia quer proibir VPNs que permitam aceder a sites bloqueados


Depois de facilitar o processo de bloqueio a sites considerados indesejados, a Rússia avança no sentido de proibir todas as formas alternativas de aceder a esses sites, como o recurso a VPNs e proxies.

A China é o exemplo perfeito de como, quando um estado tenta impedir o acesso a algo que se queira ver, isso leva apenas à proliferação de formas alternativas de o fazer (com o recurso a VPNs a ser algo que já considera "normal"); mas na Rússia já se vai pensando em ir mais longe, e proibir o próprio uso de VPNs.

Qualquer VPN ou serviço que permita aceder a algum site bloqueado na Rússia terá que bloquear esse acesso, ou arriscar-se a ser proibido no país. Uma exigência que será complicada de cumprir no caso dos serviços de VPN que usam como argumentos o facto de não monitorizarem a utilização dos seus clientes.

Para além disso, já sabemos no tipo de resposta que medidas como estas originam. E que inevitavelmente levam apenas à criação de ferramentas e técnicas que tornam ainda mais difícil qualquer tentativa de detecção ou censura, nem que seja à custa de se camuflarem os acessos e transferências no meio de tráfego considerado normal (ou essencial) no funcionamento da internet. Mas já nem me surpreenderia que, pelo andar das coisas em diversos países, um destes dias se veja a internet a começar a fragmentar-se em versões nacionalizadas e independentes, onde em cada país só se tem acesso aos conteúdos considerados aceitáveis.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]