2017/05/20

NASA não quer tripulação no primeiro lançamento do SLS


O SLS da NASA será um dos mais potentes foguetes de sempre, tendo por objectivo permitir as futuras missões tripuladas a Marte, mas perante o desafio de o estrear com uma tripulação a bordo, a própria NASA vem dizer que tal não será aconselhado.

O Space Launch System (SLS) tem sofrido inúmeros reveses, com os orçamentos a superarem o estimado e os atrasos constantes a fazerem derrapar os prazos previstos. Por isso, o desafio lançado por Trump, de que o foguete deveria levar astronautas logo na sua missão inaugural, viria colocar ainda mais pressão sobre o projecto... como um estudo da própria NASA revela, dizendo que tal requisito faria atrasar imenso o projecto e aumentar substancialmente os custos.

É que para se poder considerar sequer essa hipótese, significaria que a Orion teria que estar completamente pronta e com suporte de vida já no final deste ano; e ter também implementado o sistema de fuga de emergência em caso do lançamento ser abortado em voo, que ainda está a ser testado. Não é por acaso que raramente a NASA (ou qualquer outra agência espacial) coloca um astronauta no primeiro lançamento de um novo foguete. Mesmo quando se tratam de foguetes com tecnologias já testadas há sempre o risco das coisas correrem mal; pelo que arriscar desnecessariamente a vida de uma tripulação humana só para dizer "que funciona" acaba por ser despropositado.

Se não houver ainda mais atrasos, espera-se que o primeiro voo do SLS aconteça em 2019, numa missão não tripulada que levará a cápsula Orion numa viagem até Lua; e em 2021 a primeira missão tripulada com uma viagem de 8 dias em redor da Lua (sendo que nesta fase já se duvida que isto consiga ser feito nesta data.)

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]