2018/01/01

Burj Khalifa trocou fogo de artifício por iluminação para entrar em 2018


Para esta passagem de ano o Dubai trocou o tradicional espectáculo de fogo de artifício no Burj Khalifa por um espectáculo de luzes que se revelou igualmente mágico.

Se acham que a ideia de estourar explosivos como forma de festejar é um pouco anacrónica para o mundo moderno, então vão gostar da solução aplicada ao Burj Khalifa - que continua a ser o mais alto edifício do mundo - e que praticamente foi transformado no maior ecrã gigante do mundo para este Light Up 2018.

O espectáculo fará alguns recordar memórias dos célebres mega-concertos de Jean-Michel Jarre que também transformavam a paisagem citadina em ecrãs para idênticos espectáculos visuais... e faz-nos lembrar que já seria tempo de alguns desses espectáculos terem direito a "remakes". :)

Não sei se no caso do Burj Khalifa o sistema de luzes irá ser mantido como instalação permanente, o que mais facilmente permitiria repetir este (e outros) shows de forma regular ao longo do ano; mas espero que sim, e que surjam mais cidades a seguir o exemplo e trocarem as ruidosas explosões dos foguetes por sistemas deste tipo. Quanto mais não seja, até permitiria fazer grandes shows de luz a qualquer dia da semana, de forma silenciosa e sem incomodar quem quisesse dormir! :P




10 comentários:

  1. Um espectáculo grandioso, e sem a fumaça e poluição habituais... Assim sim!
    Fala-se tanto dos problemas actuais, ao nível do Aquecimento Global, das doenças respiratórias e cancros derivados da poluição, e depois vêm-se nas festas e festinhas autênticos "estouros" de dinheiro em foguetes e fogo de artifício, que depressa perdem o brilho e a cor, mas o fumo fica lá, para todos verem e cheirarem...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim mas sabes que quando estás num país em que o poder de tudo está numa pessoa e o dinheiro é praticamente ilimitado, é fácil fazer tudo do melhor.

      Eliminar
    2. Fala-se de aquecimento global e com razão. Fala-se de doenças respiratórias e cancros derivados da poluição e com razão!! Estes são temas de grande importância!!!
      Agora, mas qué quisto tem a ber com o fogo de artifício?!?! Porque faz fumo? Porque usa químicos? Onde estão os estudos de correlação entre o fogo de artifício (um evento pontual) e esses problemas? E onde estão os estudos comparativos de aplicação financeira com vista a mostrar o desperdício que é gastar dinheiro no fogo?

      Calmex com as teorias de conspiração ok? O ca gente precisa é de factos e de estar bem informado oraite? :) Vá, um bom ano pa todos.

      PS: A propósito deste tema ainda ontem comentava com o meu pai que o Porto sempre tem um espetáculo de fogo na Avenida que é apenas assim assim comparado com os grandes espetáculos nas grandes cidades europeias. E comentava eu que se calhar não era má ideia este ano dobrar o orçamento e fazer algo inesquecível porque o Porto está na moda turística e é importante deslumbrar quem nos visita para que voltem e tragam os amigos.

      Eliminar
    3. Fumo não é uma forma de poluição? Nos incêndios, por exemplo, a inalação de fumos não pode levar aos hospitais ou até à morte?
      Vê se isto ajuda: http://www.tvi24.iol.pt/internacional/nova-deli/parece-nevoeiro-e-poluicao

      Eliminar
    4. M4X, não falei que concordava com as políticas do país. Falei apenas de uma decisão acertada. Uma entre muitas que podem estar erradas, mas não deixa de ter sido uma boa decisão.
      Já agora, gostava de ver valores concretos, sobre se fica mais caro usar fogo de artifício ou projecção de luz... Se esta última até ficar mais barata, não vejo porque os países não possam optar por poupar dinheiro e o Ambiente.

      Eliminar
    5. Meu caro Ricardo o meu argumento é que se eu acender um fósforo aqui em minha casa hoje e fizer fumo, se calhar não vou ter grande impacto no ambiente. Se houvesse fogo de artifício 2x por dia, todos os dias (o equivalente a uma fábrica qq) então podíamos pensar no impacto, mas sendo um evento pontual (uma festa aqui e acolá) o impacto é desprezível.
      Pessoas a viver numa cidade poluída e a inalar o ar durante semanas e que acabam no hospital com doenças respiratórias existem e são casos verificáveis. Pessoas que foram parar ao hospital com doenças respiratórias por assistir a um fogo de artifício? Desconheço.

      Resumindo, cada macaco no seu galho, uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa, laranjas e maças, etc. :)

      Eliminar
    6. Se for reutilizada muitas vezes, as luzes devem acabar por ficar mais baratas, assumindo que duram para isso. Mas o investimento em material e pagar ao pessoal que cria estes espectáculos não é brincadeira.

      Foguetes são baratos e quem os lança não faz nada de especial por isso também não podem levar muito ou são trocados pelo próximo.
      Isto por cá, porque já vi espectáculos pirotécnicos que não foram brincadeira nenhuma a organizar etc, esses de certeza que ganham bem pelo que fazem.

      Eliminar
    7. Ricardo Cardoso, mas so podes tar a brincar, certo?!?
      Vais comparar um fumo de fogos, muitos deles a consumirem floresta mais do que um dia, com um simples fogo de artificio que dura poucos minutos?!?
      LOL!!!!

      Ainda no outro dia vi um documentario na RTP3 sobre a grande poluição deconhecida que os cruzeiros fazem, isso sim, nisso é q deveriam estar realmente procupados!!! So um navio parado (mas q esta sempre ligado) chega a poluir mais, fumos que deita pra atmosfera, que o conjunto de viaturas numa determinada cidade!!!

      Eliminar
    8. Cruzeiros a parte oculta
      https://www.rtp.pt/programa/tv/p34966

      Eliminar
  2. O ano do Zayed...tá bem tá. Continuo a preferir o fogo de artifício.

    ResponderEliminar

[pub]