2018/01/05

Meltdown e Spectre não afectam gravemente o desempenho - excepto quando afectam


O anúncio inicial desta falha apontava para um impacto na ordem dos 5-30% e agora que a situação começa a ser mais testada, podemos dizer que há boas - e más - notícias.

A falha que afecta praticamente todos os computadores em funcionamento continua a gerar uma enorme confusão e corrida às correcções, mas para muitos utilizadores a pergunta mais importante é: que impacto vai esta correcção ter no desempenho do meu computador.

É aqui que temos a parte das boas notícias. Para a maioria dos utilizadores que dão uso "normal" aos seus computadores (navegar na web, escrever documentos, jogar, etc.) o impacto será completamente imperceptível. Há, tecnicamente, impacto nalguns tipos de operação - como as leituras de blocos pequenos (4KB) de SSDs rápidos, que podem ser prejudicadas - mas, para todos os efeitos práticos, isso dificilmente se traduz em algo que possa ser sentido na dita utilização normal do computador.

Podem por isso respirar de alívio todos os que temessem que os seus computadores recém-comprados fossem subitamente ficar 30% mais lentos; isso não irá acontecer, e poderão continuar a usá-los como sempre, sem recearem que aquele jogo mais exigente passasse a debitar 30% menos frames por segundo (nem tão pouco recearem comprar um computador novo com estes CPUs "vulneráveis" - já que provavelmente será tão, ou mais, arriscado comprar as próximas gerações que vierem com alterações substanciais para corrigir este problema... e potencialmente incluindo novos bugs. ;P)


Então... seriam por isso exageradas as acusações do impacto no desempenho? E infelizmente isso faz-nos chegar à parte das más notícias. Não, o impacto no desempenho é notório em certas situações, e pode mesmo ser pior que os 30% anunciados.

Num caso que nos foi dado a conhecer em primeira mão, temos um servidor (de Redis), a taxa de utilização do CPU subiu praticamente 50% apenas por culpa das actualizações para corrigir esta vulnerabilidade.


Ora... facilmente se percebe que isto já será um caso que dará grandes dores de cabeça a quem tiver que gerir este tipo de máquinas; podendo mesmo obrigar a "investimentos" na compra de máquinas adicionais para conseguir manter o mesmo nível de operação que tinha anteriormente (embora a Google tenha partilhado alguns métodos de como lidar com esta situação com impacto mínimo no desempenho).

Serão estas as pessoas que mais motivos de queixa irão ter do Meltdown... a par dos developers que têm também que tratar das actualizações para minimizar o impacto do Spectre nos seus programas.

4 comentários:

  1. Eu não percebo é uma coisa, primeiro disseram que só daria para corrigir o problema com um update do próprio sistema operativo, mas agora dizem que isso não é suficiente e que será necessário instalar um novo firmware a ser disponibilizado pelo fabricante do PC. Afinal como ficamos?

    No Gizmodo: "Unfortunately, users who are running Windows on machines not manufactured by the company will also need a firmware update, and the release of those will vary based on the manufacturer" (https://gizmodo.com/check-this-list-to-see-if-you-re-still-vulnerable-to-me-1821780843)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, tens de fazer um update do Windows, e do fabricante do processador. Podiam era mandar isso tudo pelo Windows update mas isso já não posso dizer o porquê de não o fazerem.

      Eliminar
  2. Boa tarde então eu estava feito sou eu que monto os meus PCs e os idealizo numa mistura que penso ser perfeita, eu penso que deve haver aí alguma confusão por parte da Gizmodo

    ResponderEliminar
  3. Convem ter o transparent hugepages desligado no kernel. https://access.redhat.com/solutions/46111

    ResponderEliminar

[pub]