2014/03/07

hereO - relógio GPS para crianças no Indiegogo


Para os pais que querem saber por onde andam os seus filhos sem que isso implique andarem com smartphones ou telemóveis, há um projecto no Indiegogo que pretende criar um pequeno relógio GPS que relatará as coordenadas dos pequenitos para os pais e família.




O hereO não é o primeiro relógio GPS para crianças, mas é o mais pequeno feito até ao momento (32x30x14mm) e que por isso se torna mais confortável de usar por elas. Contou também com a ajuda de crianças para o seu design, que assim puderem dizer se seria algo que gostariam de utilizar ou não.


A autonomia indicada é de 24-72h, e o relógio conta com todas as características de segurança que se esperariam para um produto deste tipo: como detecção da remoção do relógio do pulso da criança, notificação de quando chegam a determinado local, e até um botão de pânico que a criança poderá utilizar para enviar um alerta para os pais em caso de emergência.

Os preços começam nos $99 dólares (se forem rápidos) e o hereO já vem com um cartão SIM integrado da rede Wyless que funciona em mais de 100 países. O preço inclui 6 meses de serviço, mas após esse período custará $5/mês.

3 comentários:

  1. Uma ideia excelente, excepto ser um relogio, coisa muito facil de detectar por quem quiser fazer mal à criança...
    O ideal seria ter isto, mas nao em forma de relogio de forma a poder se por dentro da roupa (tipo um bolso escondido). Não existe nada deste genero??

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. existe roupa com bolsos escondidos e sapatilhas é só lá meter o dito...

      Eliminar
  2. A começar por mim, toda a gente que conheço já "perdeu" um miúdo pequeno numa praia cheia de gente ou numa rua movimentada. Num caso, extremo, foram tantas vezes que o próprio miúdo pedia à mãe para usar uma espécie de trela.

    Nessas alturas um GPS destes dava bastante jeito (embora o mais certo era não estar posto, quando era preciso).

    P.S. Ao pôr do sol, quando o sol está baixo e fere os olhos, os putos que se perdem - geralmente, não é sempre - deslocam-se à beira do mar, de costas para o sol. Não dá para acreditar na distância que são capazes de percorrer em pouco tempo. Como não choram ninguém nota que estão perdidos. É aflitivo como o caraças.

    ResponderEliminar

[pub]