2015/12/21

Web vai ganhar código 451 para indicar censura


A web fez 25 anos, mas estamos numa época em que essa celebração está a ser feita com prendas que se podem considerar indesejadas. Estamos prestes a ter um novo código na web para lidar com o crescente número de páginas censuradas.

Os códigos de estado HTTP são algo que remonta à origem do http, mas com os quais raramente temos que lidar. Aquele que será mais conhecido do público será o código 404, que surge quando se tenta aceder a uma página que não existe num servidor - mas, para além desse existem muitos outros que sinalizam diferentes estados ao browser ou demais serviços que estão a tentar aceder a algum conteúdo.

Infelizmente, estamos prestes a ter mais um código, o código 451, que servirá para sinalizar que se está a tentar aceder a conteúdo que indisponível por motivos legais... ou seja, censurado. Este código surge do desejo de distinguir entre os diferentes motivos que podem impedir o acesso a uma página. Já existe o código 403 que diz que se trata de conteúdo de acesso proibido, mas isso não serve para distinguir entre conteúdos que não se possam aceder (por exemplo, páginas que só podem ser acedidas com login feito), ou páginas que estão a ser bloqueadas por ordem dos tribunais.

O número 451 não foi escolhido por acaso, sendo uma referência directa ao Fahrenheit 451 de Ray Bradbury; e embora seja duvidoso que países que adoptam a censura optem por usar este código, certamente preferindo optar pelo mais genérico "proibido" sem dizerem porquê, a ideia é que serviços como o Google e outros, que sejam forçados a esconder resultados, possam informar os utilizadores de que esses conteúdos só não estão visíveis porque foram obrigados a escondê-los.

... Com a sorte que temos, já se imagina que em breve surjam processos nos tribunais a exigir que estes serviços não possam revelar que foram obrigados a censurar conteúdos, mas pronto... lá chegaremos a esse ponto, de preferência sem que para isso seja necessário criar um novo código.

1 comentário:

  1. Acho que reduzir o conteúdo proibido apenas à censura é perigoso. O conteúdo indisponível por razões legais pode ser por casos de pedofilia, páginas que façam apologia à violência ou mesmo casos de plágio de conteúdo. Proibir em si não é errado, mas sim os critérios de proibição. E mais não digo, pois entraríamos na seara da pirataria e sei que a maioria dos amigos apoiam, e não quero entrar em polémicas em épocas festivas!

    ResponderEliminar

[pub]