2016/01/01

Material mais caro do mundo custa €135 milhões por grama


Se pensavam que a prata, ouro, ou até mesmo a platina eram caras; esperem só para saber quanto custa um único grama deste material milagroso que está a ser desenvolvido pelos cientistas para revolucionar o nosso mundo: um material que actualmente custa 135 milhões de euros por grama.

Sim, como alguns já poderão estar a imaginar, trata-se de mais um material da família dos nanotubos de carbono; embora desta vez se tratem de átomos de carbono numa estrutura esférica - as chamadas bucky-balls - e contendo um átomo de azoto no seu interior.

Este material, que está em desenvolvimento há mais de uma década, está a ser usado para permitir a construção de um relógio atómico em formato microscópico, permitindo que o mesmo pudesse ser integrado num simples smartphone ou qualquer outro dispositivo, em vez de obrigar a material que ainda agora ocupa grande parte de uma sala. Embora a perspectiva de manter o registo de tempo com ainda mais precisão pareça inconsequente, há pelo menos uma aplicação que torna essa capacidade bem aparente em termos práticos: a do posicionamento GPS.

A posição determinada via GPS está directamente relacionada com a capacidade de se medir com precisão o tempo da chegada dos sinais dos satélites, coisa que actualmente só nos permite ter uma precisão na ordem das dezenas de metros (no caso dos produtos comerciais genéricos). Com este novo material, essa precisão permitiria localizar o posicionamento de um aparelho com precisão de 1mm!

Resta-nos esperar que as experiências sejam bem sucedidas e que, acima de tudo, o custo de produção deste material possa ser reduzido para níveis que permitam a sua utilização comercial em grande escala.

1 comentário:

[pub]