2016/02/13

Equipa de crackers (que ia tirar férias) diz já ter crackado protecção Denuvo


O grupo chinês 3DM tinha deixado os produtores de jogos a suspirar de alívio, ao anunciar que iria tirar um ano de férias - mas vem afinal causar novos pesadelos ao dizer que já terá conseguido crackar o mais recente sistema de protecção Denuvo, que protege jogos como Just Cause 3.

A luta entre sistemas anti-cópia e os crackers é algo que vem desde a origem dos jogos, e que não parece ter fim à vista. Actualmente, o grupo chinês 3DM é um dos mais conceituados, lançando versões crackadas dos jogos mais recentes; mas recentemente veio anunciar que o novo sistema Denuvo estava a ser tão difícil de crackar que poderia significar o fim da pirataria de jogos dentro de poucos anos. Um anúncio que deixou desapontados todos os que recorrem a jogos pirata, e que foi complementado com uma comunicação posterior que dizia que o grupo iria sair de cena durante um ano, para "deixar o mercado de jogos respirar".

Foram notícias que certamente soaram maravilhosamente aos produtores de jogos, prevendo um excelente ano de 2016 com menos jogos pirata a circular. Só que... talvez não...

O grupo parece não ter resistido à pressão dos rumores, que diziam que eles estavam a "fugir" por não conseguirem crackar a tal protecção, e regressou ao activo dizendo que não era o caso, e que afinal já terão crackado a protecção Denovo, que protege jogos como Just Cause 3, FIFA 16, e Rise of the Tomb Raider.

Caso isto se venha a confirmar, será o equivalente a um verdadeiro banho de água fria para os produtores de jogos. Mas... falta demonstrar que realmente o conseguiram fazer. E não deixará de ser estranho que o grupo tenha dito que, para não atrair demasiadas atenções, o lançamento destes jogos não irá ser feito com um crack em seu nome (algo que também está a levantar suspeitas de que o grupo apenas se queira aproveitar do trabalho de outros grupos que eventualmente lancem os cracks para o Just Cause 3, FIFA 16 e Rise of the Tomb Raider) Enfim... um início de ano bem animado no sub-mundo dos jogos crackados.


P.S. Pessoalmente, não recomendo que recorram a qualquer jogo pirateado. E muito menos quando não há falta de centenas ou milhares de excelentes jogos a preços super acessíveis (para não falar dos jogos gratuitos). Mesmo no caso de jogos recentes, é uma questão de ir espreitando sites como o Kinguin onde se podem comprar os jogos legalmente a preços bastante mais reduzidos. (Por exemplo, o Just Cause 3 já se pode encontrar a menos de 25 euros.)

3 comentários:

  1. Para quem não conhece, aqui está um comparador de preços de várias lojas de Chaves para Jogos. http://www.allkeyshop.com/

    Essas chaves depois são utilizadas em plataformas como a Steam e Orion para ficarmos com o jogo, tal como tivéssemos comprado via essas plataformas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pessoalmente usei esse site há vários anos atrás para comprar uma chave para experimentar. Nunca tive problemas. No entanto já li sobre casos de chaves que acabam por ser bloqueadas. Será que há risco ou será que foram simplesmente anomalias?

      Eliminar
  2. Eu por outro lado já acho interessante a parte técnica da situação. Porque é que este novo sistema é tão complicado de derrotar? Porque é que só agora criaram uma proteção deste tipo? Será que no futuro, com a evolução do equipamento informático, será possível criar proteções com encriptação demasiado complicada de quebrar? Que impacto tem esta proteção na performance do computador?
    Alguém entendido já escrevia aí um post sobre isso :)

    ResponderEliminar

[pub]