2016/02/02

Monitor Asus MX27UQ Ultra HD 4K


Aos poucos, os monitores Ultra HD 4K vão sendo cada vez mais comuns e populares, e hoje vamos espreitar que tal se comporta o Designo MX27UQ da Asus.

Longe vão os tempos em que resoluções de 1024x768 eram consideradas elevadas, e o Full HD era o melhor com que se poderia sonhar. Hoje em dia o Full HD é o mínimo que se pode exigir (até nos smartphones), e os televisores Ultra HD 4K chegam às lojas com preços cada vez mais reduzidos.

O ano passado experimentamos o Asus PB287Q, e na altura ficamos impressionado com a sua resolução, mas criticamos o facto de não ser um painel IPS, com as consequentes desvantagens a nível da reprodução de cores e ângulos de visão. Pois bem, a Asus tratou do assunto com este MX27U.

Asus Designo MX27UQ



O Asus Designo MX27UQ é um monitor Ultra HD 4K (3840 x 2160) de 27", com painel LCD IPS, 100% sRGB, margens ultra-reduzidas, e que integra colunas bluetooth Bang & Olufsen (que podem ser utilizadas mesmo com o monitor em standby).


Comparado com o meu actual monitor LCD de 26", o MX27UQ mostra o quanto as coisas evoluíram nos últimos anos. Mesmo tendo uma área superior de ecrã (27 vs 26") o seu tamanho é inferior e na espessura então... nem há comparação. (No entanto, há que ter em conta que este Asus recorre a uma fonte de alimentação externa.)

[o "antes e depois", com o meu desktop a ficar reduzido a um quarto do ecrã]


A reduzida espessura do MX27UQ faz-se também ressentir nas ligações. Temos apenas uma ficha DisplayPort e duas HDMI (v2.0), todas suportando resoluções 4K a 60Hz (embora fiquem limitados a 30Hz caso usem um dispositivo HDMI v1.4). Temos também uma ficha USB com suporte para carregamento rápido (1.5A).



Em Funcionamento



Tendo uma placa gráfica que suporte estas resoluções (não deverá ser problema em qualquer computador dos últimos dois anos) é só ligar e usar. Sendo que prontamente seremos atirados para o mundo em que os pixeis ficam com um tamanho mais reduzido que nunca, e o nosso ambiente de trabalho duplica em altura e largura face a um monitor Full HD.


É coisa que irá obrigar a algumas afinações e ajustes, pois como facilmente se poderá comprovar, a maioria dos conteúdos ainda não está preparado para ser visto nestas resoluções. Claro que... para quem tiver boa visão e pretender tirar partido de toda a área acrescida, irá agradecer ter todos estes pixeis à disposição.


Como sempre, ver conteúdos 4K faz-nos salivar com a perspectiva de, no futuro, todos os filmes e séries nos chegarem nesta resolução.


Nesta foto, temos uma tentativa de apanhar os píxeis, com a câmara encostada ao monitor... só que mesmo assim os pixeis se tornam quase imperceptíveis. :)


E, na falta de filmes e séries... resta-nos sempre dar uso aos pixeis gerados pelos jogos de computador... desde que a placa gráfica se aguente. Felizmente, no caso de uma Nvidia GTX970, é perfeitamente possível jogar-se nestas resoluções e com grau de qualidade próximo do máximo (no caso de jogos como Titanfall, consegue mesmo manter framerates de 60fps sem problema; no caso do GTA V, a coisa já se ficava entre os 30-45... sem cortar na qualidade.)





Apreciação final



No ano passado, a queixa relativa ao monitor 4K testado era o facto de não usar um painel IPS; este ano a Asus resolveu o problema. Estamos então perante o monitor 4K perfeito? Sim... e não.

Este MX27UQ é um monitor de luxo e que ninguém se importaria de ter em cima da secretária. O seu tamanho de 27" está no ponto que considero ser o ideal para esta resolução, e o seu design "sem margens" (e vencedor de um IF Design Award) faz com que o mesmo tenha um tamanho global mais reduzido do que se poderia imaginar. No entanto, há coisas que seriam dispensáveis. A inclusão das colunas bluetooth pode parecer simpática, mas não passa de um acessório supérfluo, já que quem compra um monitor 4K não é o tipo de pessoa que se vá satisfazer com a qualidade de umas colunas embutidas, mesmo vindo com carimbo Bang & Olufsen.

Mas, a maior falha deste monitor é algo mais estrutural... é a total ausência de ajustes no seu posicionamento, com uma base que se limita a deixar-nos ajustar a sua inclinação (+20/-5º). Quem quiser ajustar este monitor em altura terá que recorrer a técnicas criativas para levantar a sua base colocando algum objecto por baixo, e se quiserem um monitor com rotação... então nem pensar. Penso que pelo menos na questão da regulação em altura, seria algo indispensável para um monitor desta classe.

Depois, temos outros pormenores que teriam sido simpáticos... nomeadamente o G-Sync/Freesync, que permitiram aos jogadores disfarçar melhor em todos os jogos que não puderem correr a 60Hz ou mais. Mas pronto, não se pode pedir tudo, e por enquanto isso é algo que se pode aceitar que fique reservado aos monitores destinados aos gamers.

De qualquer forma, isso em nada invalida que este monitor seja excelente e altamente recomendado.

Actualização: a Asus já nos confirmou o preço, que se situará nos 729 euros.



Asus MX27UQ
Escaldante


Pros:
  • Resolução 4K
  • Painel LCD IPS
  • Design / margens reduzidas


Contras:
  • Suporte sem regulação em altura
  • Sem G-Sync/Freesync

5 comentários:

[pub]