2016/04/20

Android: usar apps fora da Play Store triplica o risco de apanhar malware


A Google já revelou o seu relatório de segurança anual relativo ao Android, e que revela que é preciso ter mais cuidado que nunca com o que se instala no smartphone.

O relatório de segurança do Android revela que o combate que a Google tem feito ao código potencialmente malicioso tem resultado, com um decréscimo de cerca de 50% nas apps "indesejadas" que chegam aos utilizadores através do Google Play. Quer isto dizer que apenas 0.15% dos utilizadores terão instalado apps com componentes potencialmente maliciosos, um número mais reduzido que no ano anterior... mas que, se considerarmos um universo de mil milhões de equipamentos, representa um número assustador de 150 milhões de equipamentos Android que o fizeram.

No entanto, para os utilizadores que recorrem a fontes alternativas para as suas apps, o número de equipamentos com malware instalado sobe para os 0.5%, sendo este um método preferencial que os atacantes têm utilizado para tentar infectar as vítimas. (E é algo que infelizmente já pudemos comprovar na nossa mailing list, com alguns relatos de smartphones Android infectados e onde nem sequer um reset de fábrica era capaz de remover o malware indesejado, obrigando a regravar uma imagem original do sistema.)

Ainda assim a Google relembra que faz todos os possíveis por proteger os dispositivos Android, mesmo quando se instalam apps de fontes não oficiais, através dos seus sistemas de verificação de apps; e que o novo Android N virá com sistemas de segurança acrescidos, incluindo a autenticação de todo o processo de boot para evitar que algum malware se consiga infiltrar nessa fase. (Só falta mesmo arranjar forma de fazer chegar estas versões mais recentes do Android aos tais mil milhões de dispositivos no mercado. ;)

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]