2016/05/31

Intel lança Core i7 6950X com 10-cores


Os fãs dos PCs mais potentes possíveis têm um novo CPU a adicionar à sua lista de desejos: o Intel Core i7 6950X, que estreia no segmento desktop um processador com 10 cores (20 virtuais, graças ao Hyper-Threading.)

Depois dos dual-core, quad-core, hexa-core e octa-core, a Intel dá mais um passo em frente e traz-nos um deca-core para o segmento desktop (na verdade, também já temos SoC deca-core no segmento mobile, mas estamos a falar de segmentos diferentes com capacidades de processamento também diferentes). O Core i7-6950X de 3.0GHz vai tornar-se no novo CPU de referência para todos os que necessitem da maior capacidade de processamento disponível, e que estejam dispostos a pagar mais de $1700(!) por ele.

Refira-se que para a grande maioria das pessoas este CPU disponibiliza potência a mais de que não conseguirão tirar partido. A Intel já dá como exemplo que este é um CPU adequado para quem estiver a correr um jogo exigente em resoluções Ultra HD, e em paralelo esteja a fazer captura e compressão do vídeo, e também o streaming do mesmo. Em suma, este é um CPU destinado a quem esteja a realizar múltiplas operações complexas em simultâneo, senão vão estar a usar apenas uma fracção do CPU - que poderiam fazer com um CPU bastante mais barato.

A acompanhá-lo na família Broadwell-E, temos modelos mais económicos: por $1089 temos o Core i7-6900K octa-core a 3.2GHz; por $617 o i7-6850K hexa-core a 3.6GHz and costing $617; e por $433 o Core i7-6800K a 3.4GHz.


Outra novidade é o sistema melhorado Turbo Boost Max 3.0, que agora é capaz de analisar independentemente as capacidades de cada núcleo de processamento em separado e fazer um "overclock" (que tecnicamente não é considerado um overclock por estar dentro das especificações) à medida de cada um. Isto quer dizer que se um chip tiver um núcleo que tenha saído particularmente bem e aguente uma frequência bem superior, o sistema poderá utilizá-lo para o processamento mais intensivo, para maximizar o desempenho.

Esta nova geração Broadwell-E mantém a compatibilidade com os chipsets X99 actuais (embora, que vá gastar $1700 num CPU, não me parece que esteja preocupado com isso), e chegará ao mercado antes do final do ano.

1 comentário:

[pub]