2016/06/13

O iPhone com ecrã sem margens chega em 2017?


Longe vão os tempos em que o design do iPhone era considerado inovador, e persistem os rumores de que a próxima grande revolução chegará no próximo ano, para celebrar o seu 10º aniversário, com um novo design que concretizará um smartphone com a frente 100% ocupada pelo ecrã.

Quando a Apple saltou do iPhone 3GS para o iPhone 4, apresentou-nos um iPhone em metal e vidro que na altura se tornou na referência de design e que inspirou muitos outros a seguirem a mesma linha. Desde então o design dos iPhones tem sido meramente evolutivo, e já pouco ou nada tem de inovador face ao que outros fabricantes têm feito (é muito mais provável alguém ficar impressionado pela qualidade de construção de um Samsung Galaxy S7 Edge do que de um iPhone 6S - e até os fabricantes chineses "low-cost" têm smartphones em metal que surpreenderão tudo e todos, tendo em conta o preço que é uma fracção do de um iPhone.)

Embora para este ano se espere um iPhone que poucas alterações tenha em relação aos iPhones 6/6S em termos de design, quebrando a tradição de um design novo a cada dois anos, isso pode ser explicado pelo facto da Apple querer apresentar algo especial no próximo ano, por altura do 10º aniversário do iPhone.


Há muito que a Apple está interessada em adoptar ecrãs OLED nos iPhone, sendo que o único constrangimento é encontrar um fornecedor capaz de entregar as muitas dezenas de milhões de ecrãs que a Apple necessita; mas fala-se que isso é algo que agora pode ser feito, e com isso abre-se todo um novo mundo de possibilidades.


Uma delas - a mais simples - seria a Apple adoptar um design ao estilo do Galaxy S Edge, com um ecrã que se prolongasse até às laterais. Não me parece que o resultado fosse mau, mas a Apple seria duramente criticada por "copiar" o design da Samsung, pelo que a opção que resta poderá ser ainda mais inovadora... o primeiro smartphone com ecrã total na frente.


É certo que seriam necessárias algumas pequenas quebras para colocar a câmara e coluna de som, sendo que o sensor de impressões digitais poderia ficar escondido por trás do próprio ecrã, conforme já revelado por uma patente da Apple. Mas, mesmo que este iPhone especial fosse uma versão especial a acompanhar modelos com design mais tradicional, seria um regressar aos tempos em que a Apple fazia o "impossível" (lembram-se quando a Apple lançou o iPhone com ecrã "Retina" numa altura em que se pensava que isso não seria possível, libertando-nos de uma era em que os smartphones tinham ecrãs com resoluções reduzidas?)

Sem dúvida que seria muito interessante ver a Apple lançar um iPhone que voltasse a suscitar "paixões" e a inovar... mas ainda falta muito tempo até ficarmos a conhecer o iPhone de 2017; e mais importante será talvez ver como o mercado irá reagir ao lançamento do iPhone deste ano.

2 comentários:

  1. De facto seria inovador mas nao sei até que ponto não será frustrante(em termos de usabilidade) usar um smartphone com a frente ocupada 100% pelo o ecrã

    ResponderEliminar
  2. Efectivamente, creio que toda a gente está um pouco cansada do "mais do mesmo" que os fabricantes nos têm disponibilizado. Mesmo se a Apple não avançar com esta solução, creio que mais cedo ou mais tarde, um qualquer fabricante chinês irá lançar algo de género.

    ResponderEliminar

[pub]