2016/06/01

Portáteis vulneráveis de origem graças ao software pré-instalado


A praga do software pré-instalado nos computadores que se compram (vulgo: bloatware) é algo que já se tornou prática tão comum ao ponto de ser considerada "normal". O problema é quando são esse software pré-instalado pelos fabricantes deixa as máquinas em risco.

Já temos assistido a alguns casos que fazem disparar os alarmes (como o adware que a Lenovo incluía nos portáteis), mas infelizmente esses casos parecem não estar a produzir qualquer efeito. Um estudo que se centrou sobre os programas de actualização dos computadores de diversas marcas revelou que. embora haja alguns casos mais graves que outros, todos sofriam de alguma vulnerabilidade que poderá deixar os utilizadores em risco.


É um cenário de pesadelo que relembra a necessidade de que, se algum fabricante sentir necessidade de adicionar seja o que for ao sistema, o mínimo que pode fazer é garantir que esse extra não irá deixar os utilizadores em risco - afinal, já chegam as vulnerabilidades que o próprio sistema tem e que vão sendo corrigidas (espera-se) pelas actualizações oficiais.

Nesta análise incluem-se máquinas de fabricantes como a Acer, Asus, HP, Dell e Lenovo... pelo que o panorama não é nada animador para aqueles que não têm por hábito fazer uma "limpeza exaustiva" dos computadores que compram, removendo todo o tipo de software indesejado ou desnecessário - ou - nos casos mais extremos, fazendo uma reinstalação completa do Windows (ou outro sistema) livre destes extras.


Quantos mais incidentes serão necessários até que os fabricantes comecem a prestar atenção a esta situação? Será necessário haver algum caso que resulte num mega-processo nos tribunais, custando-lhes dezenas ou centenas de milhões de dólares? Esperemos que não... mas até lá, que não se admirem se os utilizadores preferirem optar por máquinas onde estas questões não se coloquem.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]