2016/06/02

Snapdragon Wear 1100 promete 7 dias de autonomia para smartwatches 4G


Nos CPUs normalmente gostamos de nos focar nos modelos mais potentes, mas por vezes também surgem coisas interessantes no extremo oposto da escala, como e o caso do SoC Snapdragon Wear 1100 da Qualcomm, destinado aos smartwatches e demais wearables.

Enquanto em SoCs como o Snapdragon 820 estamos perante chips que rivalizam os CPUs dos desktops há alguns anos, neste Snapdragon Wear 1100 as prioridade são outras, nomeadamente a da eficiência e poupança energética, para poder ser usado nestes produtos de tamanho reduzido que não podem recorrer a baterias volumosas - e a missão parece ter sido cumprida.

O Wear 1100 recorre a um único núcleo de processamento Cortax A7 a correr a uma velocidade máxima de 1.2GHz, e um GPU simplificado concebido apenas para apresentação de interfaces 2D. Também integrado no chip temos conectividade GSM/LTE (até 10/5Mbps) e sistema de localização que recorre às redes de satélite GPS, GLONASS, Galileo e BeiDou. E claro que não faltam os obrigatórios módulos de sensores de movimento e também um módulo criptográfico. Opcionalmente, os clientes podem também adicionar WiFi e Bluetooth (esperemos que a maioria o faça).

O resultado de toda esta integração é um chip que quando ligado a uma bateria diminuta de 350mAh, tem uma autonomia anunciada de 7 dias, com ligação 4G em standby. Mesmo sabendo-se que o ecrã (no caso dos smartwatches) e utilização de apps será responsável por reduzir drasticamente esse valor, não é um mau valor de referência se nos proporcionar smartwatches que se aguentem por 3 ou 4 dias em uso "normal".

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]