2016/07/17

Apple propõe aumento dos royalties a pagar pelo streaming de música - mas só para os concorrentes


É mais que sabido que a Apple não acha piada nenhuma ao sucesso do Spotify e ao facto deste disponibilizar uma modalidade gratuita (com publicidade); e agora tenta enfrentá-lo, assim como ao YouTube e outros serviços de streaming, propondo um aumento dos royalties a pagar pelo streaming de música.

É certo que o sistema de pagamento dos direitos dos artistas deveria ser revisto e simplificado, e nesse aspecto a proposta da Apple vai no bom sentido, ao simplificar todas as inúmeras variáveis que actualmente são usadas para o cálculo desse valor, e aplicando um preço fixo de 9.1 cêntimos por cada 100 streams.

Mas, estas boas intenções depressa revelam o verdadeiro propósito de tal sugestão. É que embora a Apple recomende este valor (e diga que é indispensável para manter os artistas - referindo a insustentabilidade de modalidades gratuitas como a que o Spotify oferecer) por outro lado pretende que o mesmo não se aplica ao seu próprio serviço de música; pois continuará a fazer negociações à parte com as editoras e artistas. Ou seja, o objectivo é apenas e somente "lixar o negócio" aos concorrentes, de modo a que os seus próprios serviços se possam tornar mais atractivos e ganharem quota de mercado e posição mais dominante.

... Muito mais feliz ficaria ao ver qualquer reforma do sistema de pagamentos dos direitos aos artistas que cortasse com todos os intermediários que actualmente serão responsáveis por fazer evaporar a maior parte desse dinheiro. Só é pena que os artistas pareçam não perceber que, se calhar, o problema não está nos serviços de streaming e da internet, mas sim naqueles que dizem estar continuamente a defendê-los... usando o dinheiro que lhes deveria pertencer.

2 comentários:

  1. O negócio do Spotify está lixado a prazo porque a empresa só perde dinheiro. Está condenada a ser adquirida. Julgo que os serviços de streaming de música que vão vingar serão aqueles que vão estar ligados a empresas cuja principal ganha-pão é outro, tais como a Google, Apple, Amazon...

    ResponderEliminar
  2. Típica Apple... Chegaram atrasados ao streaming e agora querem lixar a concorrência.

    ResponderEliminar

[pub]