2016/07/19

Taxi do Porto já aproveita o fenómeno Pokémon Go


Os taxistas são muita vezes retratados como sendo contra os avanços tecnológicos (veja-se o que tem acontecido com a Uber) mas há alguns que sabem adaptar-se e tirar proveito dos mais recentes fenómenos, como o do jogo Pokémon Go.

O jogo Pokémon Go tem contagiado pessoas de todas as idades, que passaram a andar de smartphones em riste a tentar apanhar os Pokémon, e um taxista do Porto rapidamente lançou uma proposta tentadora aos jogadores.

Segundo o que diz o seu anúncio no OLX, este taxista propõe-se a levar jogadores de Pokémon Go pelas áreas do porto, Matosinhos, Gaia, Maia, Gondomar e Valongo (ou outras zonas a combinar); fazendo a viagem a baixa velocidade, com paragem em todos os PokéStops e ginásios do jogo, com internet gratuita e carregadores para os smartphones, por 20€ por hora (30€ aos fins-de-semana). Uma vez que o táxi pode levar até 6 passageiros, dá uma média de 3,33€ a cada jogador se se tratar de um grupo de seis.

[screenshot via @msilvame]

Mais curioso do que a referência de que poderá passar factura "se necessário", será o facto do taxista também se propor a dar apoio à equipa vermelha. :)

... Se a moda pega, ainda começamos a ver rivalidades entre taxistas que aderiram às diferentes facções que o Pokémon Go disponibiliza aos jogadores.

14 comentários:

  1. Os taxistas não são contra os avanços tecnológicos, são contra motoristas que fazem serviços de táxi sem licença.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quererás dizer contra a Uber - já que parecem esquecer-se de que as empresas que prestam o serviço à Uber já operavam há anos em Portugal, com marcação via telefone, e os taxistas nunca se sentiram incomodados com isso.

      Eliminar
    2. Carlos é verdade o que diz mas ai acho que temos de ver o tamanho do problema. Antes essas empresas eram serviços diferenciados e pontuas. Agora Uber representa uma grande fatia do negocio.

      Não trabalho para taxis ou afins. Mas há unas anos na faculdade trabalhei para um pai de um amigo a guiar um Mercedes E em eventos e consegui perceber a indignação de alguns motoristas que tinham pago milhares de euros para ter as licenças A (acho que eram estas) e nos andávamos ali a receber o mesmo sem licença nenhuma ao abrigo de uma lei de "animações turísticas ou culturais" qq coisa assim.

      Uma historia tem sempre dois lados.
      Eu uso Uber, My taxi, e agora mais até o cabify(acho que sai mais barato) mas consigo perceber que as regras têm se ser semelhantes para todos, todos a pagarem os mesmo impostos e licenças para estarem em pé de igualdade.


      Ps: Tanto o ultimo uber como cabify que utilizei os condutores não eram de Lisboa e não sabiam sequer o básico. Com tantas obras na cidade e com ruas fechadas ficam todos perdidos sem o GPS, isto piora muito o serviço, visto que quem apanhar um e b não conhecer vai gastar muito mais.

      Eliminar
    3. Tiago, eu conheço bem a situação dos taxistas - pois tenho familiares que o são (há várias gerações). Por isso refiro que quando me refiro a "taxistas" quase sempre me refiro às "cooperativas", que são quem tem mais responsabilidade nisto tudo.

      A demonstrar a tacanhez das mesmas está o facto de não terem aproveitado a chegada da Uber para exigir a modernização do sector, mas sim tentando impedir essa modernização e mantendo os negócios a que estavam habituados. Mas, basta ver qualquer entrevista a alguns dos "grandes nomes" das cooperativas para ver o tipo de mentalidade que por ali reina, e fica logo tudo dito.

      Eliminar
    4. " para exigir a modernização do sector"
      tb temos de cuidado com isto porque li há uns tempos que ia ser (ou queriam que fosse ) o estado a dar dinheiro para modernizar a frota e isto acho mal. Porque essas "cooperativas" fizeram rios e rios de dinheiro e agora ainda querem ajudas.

      Na minha família tb tinha um taxista (viatura e licença própria) e ganhava muito mas mesmo muito dinheiro.
      Penso que os tempos agora estão mais complicados de qq modo é como disse penso que devia haver legislação igual para todos. Acima de tudo igualdade no mercado para todos.

      Eliminar
    5. Tiago, a Uber não anda em eventos a apanhar passageiros, não apanha passageiros no meio da rua sem reserva. Todos os passageiros têm de ter a aplicação e pedir. Quer queiram ou não, a Uber adquiriu esse passageiro, que de certeza não instalou magicamente a aplicação no telemóvel. Não é por ter a escala que tem que deixa de ser uma iniciativa privada de pedidos de transporte por reserva e passa a ser "taxi".

      Já não ando de fogarareiros há muito tempo, só falta serem exterminados das cidades. Há carros em circulação mais velhos que eu.

      Eliminar
  2. Este blog é que parece ter alguma coisa os Táxistas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só devido às muitas más experiências que tive com eles...

      Eliminar
    2. A prova que este blog tenta (e bem!) ser neutro no que concerne a produtos e serviços é o facto de tanto lançar artigos a salientar as coisas positivas (como negativas) de uns e de outros.

      Sendo a prova disso mesmo ESTE artigo que está a elogiar (pasme-se) um taxista.

      Eliminar
  3. Já para nao falar nos negócios das "licenças de taxistas..." Muito se poderia falar mas não é o local indicado.

    Só falta a Uber fazer uma Promoção para apanhar pokemon :)

    ResponderEliminar
  4. Parece um taxista inteligente até ver a frase "factura se necessário".
    A factura é OBRIGATÓRIA no acto de pagamento de qualquer serviço.
    Bem, nada de novo então.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, também achei piada à referência à "factura se necessário" :) estava mesmo convencido que era obrigatória em todas as viagens :)

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar

[pub]