2016/08/01

Análise ao Vernee Thor


A Vernee é uma marca relativamente recente mas que tem procurado distinguir-se das restantes marcas chinesas low-cost apostando na qualidade, e o Thor é o modelo criado para ocupar o segmento dos cento e poucos euros.

O Vernee Thor



Os smartphones económicos já não são o que eram. Há alguns anos, um smartphone de 100 euros era algo que iria fazer desesperar os utilizadores, com ecrãs de resolução e qualidade reduzida, pouca memória, e versões de Android ultrapassadas. Hoje em dia, estes novos smartphones de baixo custo são equipamentos que quase se podem considerar topos-de-gama... com algumas limitações, claro.


Este Vernee Thor é um smartphone com ecrã HD de 5", CPU MT6753 octa-core, 3GB de RAM, 16GB+microSD (até 128GB), câmaras de 13MP e 5MP, sensor de impressões digitais, bateria de 2800mAh, e Android 6.0. Embora não tenha construção em metal, tem uma qualidade de construção que inspira confiança - e até poderá haver quem prefira um smartphone com tampa traseira plástica, que poderá trocar no futuro com facilidade, dispensando a utilização de uma capa de protecção no dia a dia.


A tampa traseira, embora de plástico, é de plástico com um toque bastante agradável, e que juntamente com o formato de 5" permite-lhe ser facilmente manuseado com uma só mão sem grandes preocupações com a possibilidade de escorregar das nossas mãos.

Curiosamente para um smartphone com tampa traseira de tirar, a sua bateria não é amovível.


A câmara



Se o Thor tem muitas coisas boas para um smartphone que custa apenas 112 euros (que nalgumas promoções pode mesmo ficar abaixo dos 100 euros), há coisas que nos relembram porque motivo tem este preço reduzido... e a câmara é, infelizmente, uma delas.


A câmara é anunciada como sendo de 13MP, mas esta resolução é conseguida à custa de interpolação, pelo que não esperem milagres. É incompreensível porque motivo as marcas não optam por apostar na qualidade, mesmo que com resolução reduzida, preferindo ir atrás dos números... e pelo caminho prejudicando a qualidade e os utilizadores.

As fotos podem ser consideradas decentes com boa iluminação, desde que não se dignem a espreitar os pixeis mais de perto, onde os efeitos do processamento quase fazem lembrar um efeito artístico aplicado nas fotos.






Em funcionamento



Com um MT6753 octa-core e 3GB de RAM, o Thor comporta-se suficientemente bem para lidar com qualquer coisa que queiram utilizar. Jogos, navegar na web, e até jogar Pokémon Go ou Ingress são coisas que podem fazer sem grandes problemas (embora a sua bateria de 2800mAh se arrisque a não chegar para brincarem tanto como desejavam). A Vernee optou por usar botões touch na frente, o que liberta área útil no ecrã (infelizmente não são personalizáveis, pelo que terão que se habituar a ter o botão de back do lado direito, ao contrário do que a Google utiliza nos Nexus). Refira-se que o ecrã é um LCD IPS que apresenta cores vivas e agradáveis, independentemente do ângulo de visualização, e o vidro 2.5D contribui para que seja cómodo de segurar e utilizar.


Ainda de salientar que estamos perante um Android 6.0 que vem praticamente sem modificações, o que é um ponto positivo para os fãs dos Android "limpos".

Menos positivo é o sensor de impressões digitais, que é simpático de encontrar num smartphone nesta gama de preço e com Android 6.0, mas que infelizmente não oferece a precisão que seria desejável. A Vernee tentou resolver o problema numa actualização, que veio melhorar a sua fiabilidade, mas mesmo assim ainda era bastante frequente ter que pousar o dedo por duas ou três vezes no sensor para o mesmo ser reconhecido correctamente. Talvez uma nova actualização OTA possa vir a torná-lo ainda melhor no futuro.


Apreciação final



O mercado dos smartphones de baixo custo está cada vez mais preenchido com marcas chinesas, e a grande questão é avaliar a relação custo/benefício. Se nalgumas coisas, modelos como este Vernee Thor nos apresentam características que igualam ou superam modelos que custam 4 ou 5 vezes mais, noutras coisas depressa se torna evidente onde é que a poupança foi feita. É fácil criticar que este smartphone não tem uma câmara à altura de um Galaxy S7 ou OnePlus 3... mas logo de seguida temos que nos lembrar que este é um smartphone de 100 euros, e que tudo é relativo.

O Thor não irá amedrontar os topos de gama que temos no mercado, que serão melhores em quase tudo. Mas para todas aquelas pessoas que não estão dispostas a dar 400 ou 600 euros por um smartphone, este Vernee Thor assume-se como uma proposta altamente tentadora - e ainda mais por se manter fiel ao formato de 5" que tanto adoramos - e que sai daqui com um:


Vernee Thor
Escaldante


Prós
  • Preço
  • Qualidade de construção
  • Android 6.0

Contras
  • Câmaras
  • Sensor de impressões digitais
  • Bateria não amovível

Galeria de imagens






3 comentários:

  1. Mandei vir um para entrar no mundo android

    ResponderEliminar
  2. Eu estou a pensar no Apollo Lite mas estou à espera de reviews primeiro para não apanhar surpresas

    ResponderEliminar
  3. Tenho um desde Maio e estou bastante satisfeito. Na altura aproveitei uma Flash-Sale da Gearbest(91,43€=$99,99)!Ainda ontem (31/7) a Vernee disponibilizou mais uma actualização, a 4.ª.

    ResponderEliminar

[pub]