2016/09/23

Galaxy Note 7 vai ter actualização para identificar versões inseguras

Com os novos Galaxy Note 7 com baterias corrigidas prestes a chegar ao mercado, a Samsung tem agora que lidar com o problema de facilitar o processo de distinguir os Galaxy Note 7 seguros dos potencialmente explosivos.


O Galaxy Note 7 da Samsung continua a ser notícia e como se sabe, infelizmente, não é por boas razões. A Samsung tinha elevadas expectativas para este smartphone, tendo até adiantado a data de lançamento, com o intuito de aproveitar a boa recepção dos Galaxy S7 e S7 Edge. Mas, a pressa resultou em problemas de produção nas baterias (por parte da própria Samsung) que vieram a resultar em dezenas de acidentes "explosivos" que resultaram num pedido de recolha e troca dos milhões de unidades já vendidas.

O caricato é que no meio de tanta notícia, há quem ainda nem sequer saiba que deverá devolver o seu Note 7, sujeitando-se a riscos desnecessários.

A Samsung preparou um conjunto de medidas para que o cliente possa identificar os Note 7 seguros. Um icon de bateria verde marca um equipamento do novo lote de produção; e no menu de reiniciar e desligar o smartphone também é exibida a bateria a verde como marca de equipamento seguro.


A Samsung resolveu aplicar estas alterações aos equipamentos que estão no mercado mediante uma actualização, que no caso dos equipamentos problemáticos (que continuarão a mostrar o icon da bateria a branco) apresentará também uma mensagem a informar o utilizador do processo de recolha e troca.

A grande questão é saber se esta medida terá algum efeito prático, uma vez que há milhões de utilizadores que parecem não ter receio em continuar a utilizar os seus Galaxy Note 7 e ainda não os entregaram (Ed. pode dar-se o caso de não os quererem entregar até saberem que a Samsung teria os novos modelos para fazer a substituição de forma imediata...)

Seja como for, há que estar atento e ajudar a espalhar que, Galaxy Note 7, só se tiver o icon da bateria a verde!

Actualização: a Samsung diz que já substituiu metade dos Galaxy Note 7 vendidos nos EUA. Ficamos a aguardar informações sobre o ponto da situação relativamente a Portugal.


Por: Luis Costa

5 comentários:

[pub]