2016/09/11

Sistema de injecção de água reduz consumo de combustível


Reduzir o consumo de combustível é sempre algo positivo, e agora a Bosch criou um novo sistema de injecção que recorre a água para o fazer.

O sonho de ter um automóvel que ande "a água" é algo que há décadas entretém o imaginário de todos, mas infelizmente este novo sistema de injecção de água da Bosch ainda não faz isso. O que é feito é utilizar a água para algo bem mais simples e que todos conhecemos: para ajudar a arrefecer a temperatura do motor.

Tradicionalmente, quanto um motor está a altas rotações e sujeito a temperaturas mais elevadas, parte da gasolina que é injectada nos cilindros tem como função arrefecer os mesmos. O que a Bosch fez foi recorrer a uma injecção adicional de água que cumpre esse efeito, permitindo uma significativa poupança de combustível de até 13% em acelerações rápidas ou em condução a rotações elevadas.




Ter em conta que aqui não estamos a falar de misturar água com o combustível, algo que pode ter consequências bem graves para o motor; e que também não se trata de "encharcar" os cilindros ao ponto de enferrujarem. A água é injectada antes da ignição vaporizando-se imediatamente e arrefecendo a câmara de combustão, e também contribuindo com oxigénio adicional para uma maior eficiência da explosão.

Embora se trate de tecnologia que pode ser aplicada aos motores de 3 e 4 cilindros que equipam a maioria dos carros actuais, o primeiro automóvel equipado com esta tecnologia é o pouco modesto BMW M4 GTS, que assim pode espremer ainda maior eficiência do seu motor turbo de seis cilindros.


P.S. Não esquecer de reabastecer o depósito de água (destilada), que em média dá para cerca de 3000 quilómetros.

5 comentários:

  1. Combustível a cada 700km... água destilada a cada 3000km... ureia/adlub a cada 16000km... óleo/revisão a cada 25000km... assim os carros vão andar sempre a correr para as oficinas... quando é que os carros elétricos nos vêem tirar deste pesadelo? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai à oficina meter combustível e água destilada? :)
      Os carro elétricos no modelo actual, também vão à revisão nos mesmos intervalos, e quando o mandam à oficina por causa das baterias, vai chorar bem mais ... Eletricos sim, e rápido, mas nas baterias ainda algo precisa ser feito.

      Eliminar
    2. A tecnologia de baterias ainda tem muito por onde evoluir, a combustão interna já tá no limite da eficiência (que ainda assim é pouca), visto que há fabricantes a mentirem nos testes de emissões... é porque já não conseguem fazer melhor.

      Eliminar
  2. JP, é raro existir problemas com as baterias, e quando há, estão quase sempre em garantia. Um Leaf tem 5 anos de garantia. Mesmo depois da garantia nunca é necessário substituir uma bateria completa (cerca de 6 mil euros), basta mudar módulos. Sem falar de quem aluga as baterias.

    Isso dos problemas de bateria é mais "mete medo" do que realidade. O grande problema é a sua autonomia, por isso, sem contar com os Tesla, os carros eléctricos são carros idealmente citadinos.

    ResponderEliminar
  3. Qual é a novidade?
    https://en.wikipedia.org/wiki/Water_injection_(engine)
    Dar mais oxigénio durante a combustão é estranho. A água é composta por hidrogénio e oxigénio; durante a combustão para aproveitar o oxigénio da água produzimos H2. Em blocos que não sejam de alumínio ao longo do tempo teríamos microfraturas? https://en.wikipedia.org/wiki/Hydrogen_embrittlement
    Seria interessante que em vez de utilizar a água para melhorar a dinâmica em aceleração, seria em relanti injectar pequenas quantidade de água no cilindro aproveitando o calor residual. Ou então logo após a combustão para aumentar a impulso produzido através da vaporização da água.

    ResponderEliminar

[pub]