2016/10/12

Infineon compra Innoluce para criar LIDARs de $100


Para que os automóveis autónomos se tornam realidade há todo um conjunto de sensores que é indispensável, e um dos mais críticos é o LIDAR que permite ver o mundo em 3D em redor do veículo. A Infineon comprou a Innoluce, e fica bem posicionada para revolucionar o segmento com LIDARs de baixo custo.

Os LIDAR são "radares LASER", podendo ser mais facilmente descritos como tendo um funcionamento idêntico ao de um farol, projectando um feixe LASER que vai rodando, e permitindo medir a distância até aos objectos, criando um mapa tridimensional de alta precisão de tudo em redor. É um dos principais sensores utilizados nos automóveis autónomos, mas infelizmente é também extremamente dispendioso (as versões que a Google utilizava inicialmente custavam cerca de 75 mil dólares, o que explica porque motivo Elon Musk não os utilize nos seus Tesla.)

Muitas empresas têm tentado baixar o custo para valores que permitam a sua utilização comercial em larga escala. A Velodyne tem tentado baixar o preço dos seus, e já lançou um modelo "económico" que custa apenas 8 mil dólares, mas a Innoluce é uma empresa que quer revolucionar o sector e diz que conseguirá criar um LIDAR de apenas 100 dólares - e o facto da Infineon a comprar parece dar credibilidade a essa promessa.


Parte do segredo para a redução dos custos em tal magnitude está no abandono dos complexos sistemas mecânicos rotativos que são usados nos LIDAR tradicionais, optando por usar espelhos microscópicos num chip, de forma idêntica aos que são utilizados nos chips DLP dos projectores.

Se Innoluce/Infineon conseguirem disponibilizar LIDARs com precisão e alcance suficiente para serem utilizados em automóveis e outros veículos, a este nível de preços, é mais que previsível que este sensor passe rapidamente a ser utilizado por todos os fabricantes, podendo até substituir muitos dos que se têm utilizado (sensores de estacionamento, radares, etc.)

Vamos esperar que sim, e que este LIDAR low-cost possa ser tão bom, ou melhor, do que se espera, e que chegue ao mercado quanto antes. É que tendo um tamanho ultra-compacto e sem partes móveis, haverá muitas outras aplicações em que poderá ser usado, desde drones a até sistemas de vigilância ou de tracking para VR... (Eu só sei que não me importava de ter um para brincar. :)

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]