2016/11/22

Europa quer proibir o express checkout e complicar as compras online


Fazer compras online com um só clique pode estar em risco caso as novas regras sobre o comércio electrónico, que a Europa quer implementar, sejam aprovadas.

Para combater as compras fraudulentas a Autoridade Bancária Europeia está a propor a obrigatoriedade de utilizar um novo sistema de autenticação para as compras online, em que cada transacção de valor superior a 10 euros obrigará a autenticação reforçada, como a introdução de passwords, códigos, ou a utilização de um leitor de cartões. Mas mais uma vez parece que estamos perante mais uma daquelas burocracias que, para tentar minimizar uma reduzida percentagem de transacções fraudulentas, vai complicar a vida a todas as transacções legítimas - um pouco ao estilo do que a famosa e inconsequente lei dos cookies veio fazer.

Um dos principais opositores a esta medida é a própria VISA, que alerta para o impacto que este tipo de medidas terá no comércio online, onde está mais que demonstrado que cada entrave adicional no processo de checkout resulta no aumento do número de clientes que desiste de fazer as compras para não se "chatear"; e que relembra que já estão implementadas e continuam a ser desenvolvidas muitas formas de combate às transacções fraudulentas, e que nesta fase não seria necessário complicar a vida a todos os consumidores usando esse argumento como desculpa.

Caso estas regras avancem, os sites deixarão de poder oferecer sistemas como a "compra num só clique" ou os "express checkouts" que facilitam imensamente a vida aos consumidores. Mas o impacto não se faria sentir apenas no mundo digital (sendo que também os sites internacionais seriam forçados a seguir estas regras europeias), mas também no mundo real, pois passaria a ser necessário introduzir o código PIN em inúmeros locais que actualmente permitem o pagamento sem código (como portagens e parques de estacionamento), com o consequente aumento do tempo de pagamento por cliente... e maiores filas (e tempo perdido) para pagar.

A Autoridade Bancária Europeia publicará as propostas de normas finais a 12 de Janeiro de 2017 - e conhecendo-se o fascínio pela burocracia que estas entidades têm... acho que não se poderá esperar que nada de bom dali saia. Resta-nos apenas esperar que o seu amor pelo dinheiro prevaleça, e a ameaça de poderem receber menos (em comissões, impostos, etc) devido à quebra no comércio online os faça reconsiderar.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]