2017/01/03

Cinemas norte-americanos com lucros recorde em 2016


Embora continuamente apregoem o "fim do mundo" devido à pirataria, os cinemas norte-americanos voltam a registar no recorde nas bilheteiras em 2016, batendo o anterior recorde obtido em 2015.

Os cinemas norte-americanos encerraram o ano de 2016 com uma receita de 11.4 mil milhões de dólares em bilhetes, superando os 11.1 mil milhões conseguidos em 2015 (e isto sem contabilizar as receitas em pipocas e bebidas, que certamente representará mais alguns milhares de milhões.)

Outro pormenor curioso é que este aumento não terá sido conseguido à custa de um aumento de espectadores, mas sim ao aumento do preço dos bilhetes - embora mesmo assim os analistas não estivessem à espera que este valor recorde fosse atingido, considerando que este ano faltaram filmes mediáticos como os das sagas James Bond e Fast and Furious que teriam ajudado a vender mais uns milhões de bilhetes.

Quanto aos filmes que mais renderam, no topo temos o Finding Dory, demonstrando que a popularidade do pequeno Nemo ainda continua em alta, e que obteve 486.3 milhões de dólares. E a Disney pode esfregar as mãos, porque conseguiu meter seis dos seus filmes no top 10 dos mais lucrativos do ano, incluindo o Rogue One: A Star Wars Story e também o Star Wars: The Force Awakens, estreado no final de 2015.

Com níveis de "pirataria" que vão permitindo aos cinemas obter lucros recorde... acho que já seria tempo de se acabar com tanta perseguição aos downloads, e em vez disso passarem a concentrarem-se mais em disponibilizar serviços atractivos e de qualidade aos utilizadores que estão dispostos a pagar. Ou será que sou só eu a achar completamente ridículo (leia-se: inaceitável) que um serviço como o Amazon Prime Video, recém-lançado em Portugal, por cá confronte os clientes pagantes com a mensagem de que a season 2 da sua série The Man in the High Castle não está disponível no nosso país?

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]