2017/02/06

Assisto vs e-Segurnet: qual a melhor app para preencher a Declaração Amigável?

Ninguém deseja estar envolvido em acidentes, mas na inevitabilidade de estarem há algumas apps que prometem simplificar-nos a vida no momento de preencher a Declaração Amigável, e o nosso Nuno Barros "acidentou-se" para nos dizer qual é a app mais recomendada para o efeito.


Com o recente lançamento da app e-Segurnet para "concorrer" com a Assis.to é natural que surja a dúvida acerca de qual a melhor app para se utilizar, em caso de acidente, para preencher a Declaração Amigável, e hoje vamos ficar a saber qual das duas apps é realmente a melhor.


A app e-Segurnet foi criada pela APS - Associação Portuguesa de Seguradores e tem versões para iOS, Android e também para Windows Mobile. Já a Assis.to está disponível para iOS e para Android, não existindo versão para a plataforma Windows Mobile.

Iniciar as aplicações



Na primeira vez que acedemos a cada uma destas apps é necessário introduzir todos os dados relativos ao condutor, tomador de seguro, viatura e apólice. No caso do Assis.to, os dados ficam guardados na app, enquanto na e-Segurnet, antes de preenchermos os dados é necessário optar entre criar um registo para aceder à app ou fazê-lo sem registo (é claro que fazendo o registo os dados ficarão guardados tanto na app como no site da e-Segurnet).

Em ambas as apps, os dados relativos à apólice do seguro automóvel (tomador e viatura) podem ser introduzidos de forma manual ou através da digitalização do QR code que aparece na Carta Verde, o que agiliza o processo.

Submeter uma declaração


O processo de submissão de sinistros pode considerar-se semelhante em ambas as apps e qualquer uma delas começa por pedir informações acerca da existência de feridos e da presença de autoridades no local do sinistro.

Identificação dos condutores e veículos envolvidos



Os nossos dados são preenchidos automaticamente, sendo utilizadas as informações introduzidas inicialmente na aplicação. Em relação aos dados do segundo interveniente, podem ser introduzidos manualmente ou recorrendo ao QR code da Carta Verde, tal como feito aquando da introdução dos "nossos dados". No caso da Assis.to, e se o outro condutor envolvido no sinistro também for utilizador desta app, é possível fazer a leitura do QR code apresentado pela app para a importação automática dos seus dados para a declaração.


Para definir o local do sinistro não é sequer necessário saber onde estamos, pois ambas as apps permitem seleccionar o local através de um mapa que indica o local aproximado onde nos encontramos.


Ambas as apps têm uma secção em que é necessário indicar as circunstâncias do sinistro, o ponto de embate inicial e ainda os danos (num desenho da viatura).

Desenho do esquema



Uma das diferenças entre as duas apps está na secção "esquema do acidente"; no caso da e-Segurnet é possível utilizar uma série de opções pré-definidas para descrever o acidente, limitando de certa forma as situações possíveis de descrever, enquanto que a Assis.to permite desenhar livremente qualquer situação e local onde possa ter ocorrido o sinistro.

Assinatura da declaração



Neste aspecto as apps funcionam de forma bem distinta. Enquanto na Assis.to basta que ambos os intervenientes assinem a declaração através de um "desenho" no ecrã do smartphone, a e-Segurnet utiliza um processo mais complexo, que implica o envio de códigos por SMS para ambos os intervenientes que terão posteriormente que ser introduzidos na app.

Outros aspectos



Ambas as apps permitem tirar fotos do sinistro que podem ser incluidas na declaração a enviar às seguradoras. De referir ainda que a app Assis.to, para além da declaração de acidente, permite também a comunicação de danos na viatura ou até mesmo o seu furto, algo que a e-Segurnet não permite.

Após submeter a declaração na Assis.to é enviado um email para cada um dos intervenientes com uma cópia da declaração que acabou de ser submetida em formato PDF. Esta declaração também pode ser consultada/visualizada na própria app. Na e-Segurnet não foi possível perceber se também é disponibilizada esta funcionalidade.

Avaliação final

Assis.to

Pontos positivos:
  • permite a assinatura da declaração no smartphone, sem ser necessário outra pessoa ter a app ou sequer um telemóvel
  • o esquema do sinistro pode ser desenhado livremente e sem restrições
  • possibilidade de participar danos na viatura ou o seu próprio furto
  • assinatura ao estilo de "desenho livre" feita directamente no smartphone por ambos os envolvidos no sinistro
  • envio de declaração em formato PDF por email para ambos os envolvidos no sinistro

Pontos negativos:
  •  não está disponível para Windows Mobile




e-Segurnet

Pontos positivos:
  • disponível para as três principais plataformas móveis

Pontos negativos:
  • esquema do sinistro limitado às opções apresentadas pela app
  • assinatura da declaração implica a introdução de um código recebido por SMS por todos os intervenientes
  • não permite participar danos ou sinistros sem intervenção de terceiros
  • envia mensagens com publicidade.


Analisando os pontos positivos e negativos de cada uma das apps e considerando apenas uma utilização simulada de ambas as apps (não foi submetida nenhuma declaração real de acidente ou sinistro), podemos concluir que a melhor app para smartphone para submeter uma Declaração de Acidente Automóvel é a:





Por: Nuno Barros

7 comentários:

  1. Ambas são reconhecidas pelas seguradoras portuguesas?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim - e não esquecer que uma delas foi feita pela Associação Portuguesa de Seguradores. :)

      Eliminar
  2. Tem algum valor jurídico a assinatura com o dedo da outra pessoa no meu telemóvel? Por isso a e-segur usa os sms, talvez seja ponto positivo e não negativo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Terá o mesmo valor jurídico que uma assinatura em papel.

      Eliminar
    2. uma coisa é uma assinatura em papel (ou num terminal como o samsung note 4 que tem uma caneta com óptima precisão) e podemos comparar com o BI, outra coisa é tentar assinar com o dedo, sai muito diferente e ainda pior é fazer um desenho como está na figura acima.
      Temo que depois do processo concluido a outra parte diga, eu não concordo com o que ai está e não fui eu que fiz esse rabisco.
      Em acidentes há imensas histórias, de pessoas a darem-se como culpados, combinarem uma hora para fazer a declaração e depois de tirarem os carros negarem tudo.

      Eliminar
  3. Lá está, o problema não é assinatura, é a mentalidade das pessoas que tentam arranjar todas as formas possíveis e imaginárias para fugir às suas responsabilidades.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, tanto nega um "rabisco" feito com um dedo como um feito com uma caneta

      Eliminar

[pub]