2017/02/23

NASA descobriu sistema TRAPPIST-1 com 7 planetas que podem ter vida


A procura por vida fora do nosso planeta continua a ser um dos nossos grandes objectivos, e agora a NASA descobriu um verdadeiro jackpot: o sistema TRAPPIST-1 com 7 planetas que potencialmente podem ser parecidos com a Terra.

Descobrir planetas com as condições ideais para potencialmente acolherem vida (como a que conhecemos) é, por si só, uma tarefa já bastante difícil; pelo que se pode compreender o entusiasmo dos cientistas quando descobriram um sistema que não contém apenas um planeta que cumpre essas condições... mas sim sete!

O TRAPPIST-1, localizado a 40 anos-luz de distância, contém sete planetas com dimensões semelhantes às da Terra, e que estão posicionados dentro daquela que é considerada a "faixa habitável" em redor da sua estrela. Esta estrela é uma anã "ultra-fria", o que faz com que estes planetas fiquem posicionados em órbitas muito mais próximas dos que as que temos no nosso sistema solar - na verdade são órbitas que mais facilmente seriam comparáveis com as das luas de Júpiter em seu redor - e que fazem com que os "anos" nestes planetas sejam de poucos dias terrestres.


A parte mais interessante é que em todos eles podem existir condições que permitam a existência de água no estado líquido, que consideramos ser o ingrediente indispensável para a vida. E que portanto faz com que este sistema TRAPPIST-1 seja um verdadeiro jackpot a multiplicar por sete, e um dos alvos de maior interesse para a procura de vida fora do nosso planeta.

Por agora, os cientistas têm feito tudo o que podem com os instrumentos disponíveis, mas há muito mais que desejariam fazer. Felizmente, está para breve a chegada de novos e poderosos aliados, como o novo telescópio espacial James Webb. Com este telescópio mais moderno que deverá ser lançado em 2018, deverá ser possível detectar a composição química da atmosfera destes planetas, assim como a sua temperatura e pressão atmosférica à superfície.

... Excelentes notícias para os fãs da exploração espacial, que já poderão marcar no mapa um dos primeiros destinos a visitar na nossa vizinhança - assim que tivermos a capacidade de viajar umas dezenas de anos-luz. :)

1 comentário:

  1. A facilidade que temos hoje em dia de viajar 40anos luz é praticamente a mesma que viajar 1000anos luz.. talvez fosse bom pensar numa nova forma de lá chegarmos sem precisar de levarmos o corpo fisicamente falando é assim não estávamos limitados aos mundos que consideramos "perto" pelos atuais critérios de distância...

    ResponderEliminar

[pub]