2017/04/25

Unroll.me vendeu dados dos utilizadores à Uber e outros


O Unroll.me é um serviço gratuito que promete ajudar as pessoas a melhor gerirem os emails que recebem, mas que simultaneamente usa o acesso aos emails para criar um perfil sobre os utilizadores e vender esses dados aos seus parceiros.

Para quem tem uma caixa de email que se tornou num pesadelo com centenas de emails a chegarem diariamente, o Unroll.me pode ser um serviço atractivo que determina e classifica automaticamente os emails, por forma a permitir uma mais fácil gestão do mesmo - incluindo a capacidade de cancelar a subscrição de emails automáticos (newsletters, etc.) que o utilizador considere já não serem de interesse. Só que nem todo terão reparado que nas condições do serviço existe uma cláusula que permite aos serviço vender dados sobres os seus clientes... e agora que o descobriram, ficam todos em estado de choque.

O unroll.me faz questão de salientar, logo na sua primeira página, de que é um serviço gratuito; mas mais uma vez se demonstra que quando algo é gratuito, é porque são os utilizadores a fonte de receita. Neste caso, o unroll.me pode providenciar um serviço útil, mas mais importante é que com isso consegue ter acesso total ao email dos seus utilizadores. Isso permite-lhe fazer coisas como aquela de que está a ser acusado: de identificar utilizadores que utilizam o serviço Lyft (através das facturas enviadas via email) e vender esses dados à Uber; e de fazer coisa idêntica para muitas outras empresas e serviços.

É certo que esta possibilidade estava indicada nas condições, mas muitos utilizadores sentem-se enganados; havendo também aqueles que argumentam que tal deveria estar bem explícito logo na página de registo, e não nas condições de serviço que 99.999% das pessoas nem se digna a ler. A lição que se poderá tirar é a de que deverão sempre pensar muito bem, antes de dar a qualquer serviço acesso indiscriminado a todos os vossos emails (já chega aquilo que o próprio prestador do serviço de email poderá fazer com essa informação.)

2 comentários:

  1. Cúmulo da sacanagem. Ou Big Brother versão 2017...

    ResponderEliminar
  2. Cúmulo da sacanagem. Ou Big Brother versão 2017...

    ResponderEliminar

[pub]