2017/05/04

Análise ao Alcatel Shine Lite

O Alcatel Shine Lite é um smartphone que se apresenta com um design bastante atractivo no segmento dos 150-200 euros, e que o nosso Luis Costa fez questão de experimentar para nos dizer se realmente vale o preço que custa.


Introdução


A Alcatel, agora sob o controlo da TCL, soube reorganizar-se de forma a ser uma marca competitiva no segmento móvel, apresentando um leque de equipamentos bastante diversificado. A gama idol é nesta altura imagem da qualidade que os smartphones da marca apresentam, mas não é só na gama média alta que a marca tem produtos interessantes.


O Alcatel Shine


O Alcatel Shine Line é um smartphone que se destina a um público que procura um equipamento com algum requinte, ao mesmo tempo que não prescinde de um desempenho equilibrado, sem grandes compromissos.


Ao contrário daquilo tem sido opção de outras marcas, Alcatel opta por manter os acessórios que habitualmente acompanhavam os smartphones. Dentro da caixa, além do Smartphone encontramos um carregador, cabo usb, auriculares , um clipe para instalação do cartão SIM e uma sempre muito útil capa de silicone, para proteger o equipamento.

Em termos de hardware, o Alcatel Shine Light apresenta um ecrã IPS de cinco polegadas com resolução HD e 294ppp. Tem um processador MediaTek MT6737, um quad-core a 1,3 GHz com GPU Mali-T720MP2. Vem com 2GB de RAM, 16GB para armazenamento, expansíveis através do cartão microSD. A câmara traseira tem 13 megapixels, auto-focus e flash led de duplo tom.




A câmara frontal fica-se pelos cinco megapixels mas como extra tem um flash para poderem utilizar nas selfies em locais com pouca iluminação. Pesa 156g e tem uma bateria com 2460 mAh, suficiente poderá garantir um dia de utilização despreocupada com este hardware. Uma palavra ainda para a presença do rádio FM, algo que já começa ser muito pouco usual dos smartphones. Para o poderem utilizar terão que ligar os earphones, que irão servir de antena para o rádio.


Em funcionamento




Olhando para o hardware deste Alcatel Shine lite, facilmente se poderá concluir que estamos na presença de um conjunto que normalmente equipa os equipamentos deste segmento. O processador MediaTek MT6737, uma evolução do MT6735 que tanto sucesso teve no passado nos equipamentos de baixo custo, sofre de um aspecto que desequilibra a balança. O processador em si é suficiente para uma utilização sem atrasos, mas acaba por mostrar as suas limitações em muitos jogos; por exemplo, com quebras de fluidez no Clash Royale - um jogo que nem é graficamente muito exigente.


Fora este aspecto, o Alcatel Shine lite fornece uma experiência de utilização agradável, com um sensor bastante preciso na detecção da impressão digital. É possível associar várias impressões digitais e configurar cada uma delas para abrir uma aplicação directamente a partir do ecrã de bloqueio. É uma opção que pode ser interessante, mas devem reservar um ou dois dedos para apenas desbloquear o ecrã, caso contrário, vão estar sempre a abrir a aplicação associada à impressão digital.

Tem um ecrã com cores bastante vivas, algo que não é normal num equipamento neste segmento de preço, o que torna a visualização de conteúdos um prazer para os olhos do utilizador.


Como aspectos menos positivos, a versão do Android, apenas a 6.0 Marshmallow com patch de segurança de Dezembro e a qual não se prevê que seja actualizada para Android Nougat. Dos 16GB de armazenamento, têm apenas 10,6GB disponíveis, o que poderá ser um problema. O recurso a um cartão microSD para ganhar espaço extra, poderá ser assim uma obrigatoriedade.



As câmaras



A interface das câmaras está longe de ser um compêndio de funcionalidades, mas apresenta o mínimo de opções para se poderem tirar fotografias. O modo split catcher é o mais interessante, permitindo construir composições sem grande esforço, podendo conseguir-se resultados engraçados.


Nas definições, destaque para a estabilização de imagem no vídeo, que no entanto está limitado à resolução HD, algo curto para os tempos que correm.


Os resultados obtidos estão dentro do que é normal para uma câmara com 13MP neste segmento de preço. Em ambientes bem iluminados conseguimos tirar boas fotos, mas não esperem um detalhe muito elevado. Basta fazerem um pouco de zoom para se começarem a ver os pixels.


Apreciação final


Quando o consumidor olhar para este Alcatel Shine Lite, vai ter algumas dúvidas se o preço do equipamento está correcto. Nesta altura, já é possível encontrar este smartphone na zona dos 150€, o que o torna numa proposta interessante, face aos seus pares. O anel metálico dá estrutura ao conjunto, ao mesmo tempo que lhe fornece um aspecto bem conseguido, A cor dourada foi uma excelente opção, com o smartphone a conseguir captar a atenção do utilizador com facilidade.

Em termos de desempenho, cumpre sem deslumbrar, mas mais uma vez convém lembrar o segmento de preço em que o equipamento se insere. Para quem pretende um smartphone para fazer umas consultas na internet ou para ir ao Facebook, é uma boa opção, sendo por isso merecedor de um distinto "Quente".


Alcatel Shine Lite
Quente

Prós
  • Design
  • Qualidade de construção

Contras
  • Android 6
  • Desempenho mediano



1 comentário:

  1. Hmm, não sei não. Por 150€ já espero 3GB ram, 32GB rom, octa-core e fullhd.

    ResponderEliminar

[pub]