2017/05/18

Google Lens quer ver o mundo (e percebê-lo)


Há quase uma década atrás a Google fascinou-nos com a pesquisa visual do Google Goggles; agora prepara-se para o fazer novamente, de forma mais evoluída, com o Google Lens.

Os avanços feitos a nível de reconhecimento de imagem nos últimos anos foram substanciais, e com o Google Lens a Google quer que os smartphones vejam o mundo e o percebam tão bem - ou até melhor! - que nós. Isso significa que ao se apontar o smartphone para uma loja ou restaurante o estabelecimento seja reconhecido e nos apresente informações sobre ele; assim como monumentos; mas não se limitando a fazer isso. Poderemos também apontar a câmara para a etiqueta de um router com o SSID e password para que ele saiba detectar essa informação e ligar-se a essa rede WiFi; ou, ao apontarmos para um cartaz de um espectáculo, poderemos ser levados para opções que nos permitem comprar bilhetes e adicioná-lo ao nosso calendário.



Será seguramente um digno sucessor do Google Goggles e cujas capacidades irão ser continuamente ampliadas, por exemplo, para efeitos de navegação no interior de lojas; onde o Google Lens poderá indicar-nos por onde deveremos seguir para encontrarmos o produto pretendido.

De certa forma, este Google Lens acabará por ser um segundo passo (assumindo que o velhinho Google Goggles foi o primeiro) que nos levará para ainda mais perto de uma computação visual - e que se tornará essencial se imaginarmos que o futuro passará por óculos de realidade aumentada - como os prometidos por empresas como a Magic Leap.

Combinando-se a capacidade de "ver" com a capacidade de apresentar informação directamente nos nossos olhos, as possibilidades são literalmente infinitas, e este será todo um novo mundo por explorar que se arriscará a tornar obsoletos muitos tipos de interacção que hoje proliferam na nossa sociedade, como andar de smartphone na mão e cabeça baixada a olhar para o seu ecrã.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]