2017/07/12

Pixel 2 também reduz as margens do ecrã


A nova geração de smartphones Pixel da Google deverá ser revelada em Outubro, e o design do mesmo parece já estar finalizado, apostando numa redução das margens do ecrã, mas não de forma tão significativa como outros modelos.

A Google não vai arriscar em coisas mais radicais ao estilo do Essential Phone, e tudo indica que os novos Pixel adoptem um design que acabará - a nível de ecrã - por ser um misto do Galaxy S8 e do LG G6, o que não será de estranhar, considerando que este ano o fabrico deverá passar para a LG. As margens do ecrã AMOLED de 6" reduzem-se e o efeito da curvatura 3D do vidro na parte lateral é mais pronunciado (embora o ecrã seja plano), mas continuam a existir margens de maior dimensão na parte inferior e superior. Na traseira, a Google opta por manter uma "janela" em vidro, embora de menor dimensão do que a dos modelos anteriores.

Aparentemente, o Pixel 2 também contará com as partes laterais sensíveis ao toque, ao estilo do HTC U11... o que não deixará de ser uma opção estranha (a não ser que o fabrico ficasse a cargo da HTC, o que não parece ser o caso). Adicionar uma nova forma de interacção ao Pixel seria um factor diferenciador... mas também se arriscaria a começar a fragmentar ainda mais a plataforma Android (a não ser que a Google espere promover esta capacidade de reconhecer toques fora do ecrã, e que outros fabricantes a adoptem - mas sinceramente, acho que muitas outras coisas mais importantes haveria para resolver antes de se aventurarem nisso... como a detecção de pressão no touchscreen).

Não me parece que este novo design do Pixel seja suficientemente cativante face a modelos Android já no mercado (tipo Galaxy S8) e outros que chegarão em breve (como o Essential Phone, e outros) para que consiga atrair clientes apenas por esse aspecto - embora, como se costuma dizer, gostos não de discutem. Mas, quem opta por um Pixel é alguém que desde logo assume que quer um smartphone da Google pelas vantagens que isso traz a nível de actualizações. Considerando que o modelo actual só terá vendido 1 milhão ao longo de 8 meses... não sei se isso será suficiente.

Resta a esperança de que a Google possa regressar aos tempos do Nexus 5, e trazer-nos um Pixel a preço decente...

2 comentários:

  1. Não sei se é coincidencia mas tenho a sensação que o sucesso dos smartphones de gama alta tem estado diretamente relacionado com a qualidade da camara, se a camara deste novo pixel 2 continuar a surpreender também deve ter sucesso (enquadrado no volume de vendas dos pixel - apesar de eu achar que não se venderam mais pixels porque não chegaram a todos os mercados). O outro fator são as atualizações que fazem com que os smartphones oficiais do Google ganhem nova vida de 6 em 6 meses (sempre que sai uma nova versão do Android) e ficam novamente no topo das funcionalidades e das modas ditadas pelo software movel - coisa que só acontece passado uns meses nas outras marcas ou nunca chega a acontecer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a venda dos smartphones é diretamente proporcional com a exposição que este tem. Se formos a uma worten da vida vemos expostos Samsung, iphones, huawei, wikos e pouco mais. Normal que os leigos que são 80% do mercado vão a um desses. A única maneira de se ter um telemóvel com muitas vendas é ter um marketing agressivo se a marca nem se dá ao trabalho de pagar os expositores é normal que não não venda. O consumidor não vai comprar aquilo que nem sequer sabe que existe. Um exemplo: comprei um LG G6 na net mas antes queria ver-lo ao vivo e pegar nele tive de ir a 4 lojas para encontrar um exposto.

      Eliminar

[pub]