2017/08/29

Apple quer filmes 4K a $20 mas Hollywood não concorda


A Apple pode ter um peso substancial na mesa das negociações, mas nem ela parece conseguir demover os estúdios de Hollywood para tornar mais acessível o acesso a filmes com qualidade 4K.

É esperado que no evento de 12 de Setembro - a par do iPhone 8 - a Apple apresente uma nova versão da sua Apple TV, que tem ficado para trás face aos concorrentes. Para tornar esta nova Apple TV 4K HDR, mais apelativa, a Apple gostaria de ter conteúdos 4K para lhe dar uso... mas é aí que começam as dificuldades.

Segundo os últimos relatos, as negociações entre a Apple e os estúdios de Hollywood não estão a correr bem. Aparentemente a Apple estará a lutar para fazer com que os filmes 4K possam ser disponibilizados por um preço de 20 dólares (em vez dos $30-$35 que custam nas versões físicas Blu-ray 4K) mas não tem tido sucesso... havendo supostamente alguns executivos dos estúdios que até dizem "não não dizemos à Apple a que preço devem vender os iPads; por isso que não nos venha dizer a quanto deveremos vender os filmes".

O que é certo é que a política de preços altos não funciona para todos e não faltam exemplos disso. Nos jogos de computador não faltam pessoas que se recusam a comprar jogos a 60 ou 70 euros, preferindo esperar alguns meses até que os mesmos baixem para metade do valor; nos filmes o fenómeno é ainda mais notório, pois não é difícil esperar alguns meses até que cheguem a canais de TV - sendo que mais seguramente um fã dos filmes optará por pagar um serviço pago mensal para ter acesso a eles, do que pagar uma "exorbitância" por um único filme; aliás, basta olhar para a Netflix, que por 12 euros por mês já nos dá acesso a filmes e séries 4K.

Por muito que eu aprecie os filmes de Hollywood... bem posso garantir prefiro ter 3 meses de Netflix do que comprar um único filme, seja ele qual for, por um preço equivalente! E nem vamos falar no quanto os preços elevados ajudam a incentivar a pirataria...


Talvez um dia algum estúdio decida arriscar em fazer o "impensável" e disponibilizar os seus conteúdos sem restrições geográficas a preços reduzidos... e se calhar vai descobrir que não só aumentou ou lucros graças às vendas acrescidas, como até deixou de ter que se preocupar com a pirataria e os milhões que paga às entidade que supostamente a combatem...

3 comentários:

  1. É nestes casos que se nota a falta do Steve Jobs :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Apple quer que os estúdios aceitem 20 dólares pela compra de uma cópia de um filme 4K (o mesmo que atualmente um HD).
      Os estúdios querem 30 - 35 dólares.
      Um mês de subscrição do Netflix custa 11 dólares e é bem possível que o filme lá chegue.
      O que achas que Steve Jobs faria? Comprava a Netflix? Fazia concorrência à Netflix e outros produzindo conteúdos próprios?
      P.S. Por esta altura a Apple ainda pode comprar a Netflix, mesmo tendo que pagar um prémio alto acima da cotação das ações.

      Eliminar
  2. Esses preços só podem incentivar à pirataria, os estúdios ainda não perceberam que só tem a ganhar na massificação da disponibilização dos conteúdos que produzem. É isso que torna o serviço Netflix tão apreciada.

    ResponderEliminar

[pub]