2017/12/30

Caso de swatting com morada falsa resulta na morte de inocente


Parece inacreditável que num país dito civilizado um cidadão possa ser morto ao abrir a porta da sua casa a agentes da polícia, mas foi precisamente o que aconteceu nos EUA - num aparente caso trágico de "swatting" originado por uma disputa num jogo do Call of Duty.

O swatting é uma prática (ilegal) que por vezes é utilizada por "haters" para assediar pessoas que fazem streaming de jogos em directo, fazendo denúncias falsas para a polícia de que houve tiros ou homicídios na morada do jogador, para que depois possam assistir em directo à polícia a "entrar por lá dentro" (com mais efeito se o jogador estiver a jogar jogos de acção, com tiros e demais ruído em alto volume).

Mas desta vez temos um aparente caso de swatting com desfecho trágico, e que ainda por cima vitimou uma pessoa que nem sequer jogava estes jogos - pois parece ter tido apenas o azar de morar numa morada falsa que o verdadeiro visado deste ataque terá inventado.

Fica por explicar porque motivo a polícia terá atirado logo a matar assim que a pessoa abriu a porta e sem qualquer verificação adicional do suposto relato de crimes violentos... mas agora, mesmo que se venham a apanhar os culpados, já nada poderá apagar o trauma desta família, de ter tido a sua vida despedaçada - sem sentido - pelas forças policiais que supostamente deveriam proteger a nossa sociedade...

6 comentários:

  1. Um país que elege para presidente um Tramp, nada me admira.
    Têm o que merecem.
    É só cowboiadas

    ResponderEliminar
  2. Nos States, o normal é as pessoas protegerem as suas vidas da polícia... :(

    ResponderEliminar
  3. É de facto de lamentar que este tipo de situação aconteça. A mim mete-me um pouco de confusão como é possível enganar desta forma as forças policiais e com a frequência que isso acontece. Eles não conseguem distinguir entre denúncias verdadeiras e falsas? Não conseguem investigar a origem? Não conseguem punir os autores? Com a atenção e orçamento dado às forças de segurança nos EUA, surpreende-me que não consigam resolver este assunto.

    Agora, não há dúvida que os EUA é um país de fanatismo. Armas, religião, racismo e homossexualidade. Estes temas consomem aquela gente em demasia sendo os estados unidos um dos países mais modernos do planeta.

    Mas quando tentamos julgar um país e colocar etiquetas, não podemos olhar para eventos individuais e só olhando para as estatísticas é que podem tirar boas conclusões. A eleição do Trump, um tipo rico que faz o que quer, doa a quem doer, com uma personalidade cheio de defeitos...a sua eleição é a cereja no topo do bolo. Prova que os EUA, estatisticamente, está a tornar-se num país de pessoas estúpidas. Isto é que é importante. Os media falam ad nauseam da besta que o gajo é quando para mim o que é importante é falar da metade do país que votou nele e dos ainda 30% que dizem amen quando ele deixa milhões sem seguro de saúde, quando mete milhões nos bolsos dos mais ricos com os impostos, quando ameaça o meio ambiente, etc. É nisso que eu penso, nos milhões de bestas que aplaudem enquanto aquele erro genético laranja destrói vidas. Planeta de idiotas.

    ResponderEliminar
  4. Os USA há muito que não são na sua verdadeira essência um País moderno , como são grandes depende do estado e até diria mesmo que por vezes existem clusters de desenvolvimento a maioria dos Americanos são uns incultos que não sabem nada de nada e faz-me muita impressão como é que foi possível deitar fora todo um potencial que depois das 2 guerras Mundiais do século passado reforçaram e de que maneira a hegemonia do States, foi para isso que a UE foi constituída para acabarmos com as guerras e com os bairrismos no nosso Continente Europeu, mas vejo este projecto ameaçado .

    Mas sim em relação há noticia é inacreditável que aconteça uma coisa destas em qualquer parte do Mundo e comungo da opinião sobre o Trump que já foi aqui referida e sinto-me sintonizado com todas os comentários , enfim ...

    ResponderEliminar
  5. Exacto, portugal é muito melhor a eleger os seus líderes.

    ResponderEliminar

[pub]