2011/03/15

Desempenho Gráfico do iPad 2


O novo A5 e a nova PowerVR SGX543 do novo iPad 2 já foram submetidos a alguns testes e... parece que temos um campeão nas mãos!

Segundo o site Anandtech, o desempenho gráfico do iPad 2 deixa para trás os tablets concorrentes baseados no -também potente- Tegra 2 da Nvidia.

Em FillRate, as diferenças são abismais:

E mesmo se não se atingem os "9x" anunciados pela Apple, o que é certo é que os jogos que tirem partido das capacidades do iPad 2 poderão aumentar a complexidade cerca de 3x, e oferecer ainda melhor qualidade gráfica graças ao antialiasing.


Outra das novidades usada no A5 é a utilização de uma memória low-power  ainda mais rápida: LP DDR2.
O A5 tem assim um custo de produção 66% superior ao do Tegra 2, mas graças ao volume de produção, permite à Apple continuar a oferecer os seus produtos a preços bem competitivos, e manter a "pressão" sobre os concorrentes.

O A5 conta ainda com um novo sistema de poupança de energia, que parece adequar a frequência de funcionamento constantemente em função das necessidades (e que será sem dúvida responsável por conseguir manter a mesma autonomia, com bateria semelhante, mesmo com um CPU que agora é dual-core, e toda esta potência gráfica extra.)


Ainda relacionado... se estão curiosos sobre como funciona a capa magnética do iPad 2, já foram revelados todos os seus segredos.

2 comentários:

  1. Há aqui 2 imperfeições:

    1 - a bateria passou de 27% a 49% da área. Assim sendo podemos prever que a bateria aumento de tamanho pelo menos 1/3. Já para nao falar no avanço normal na tecnologia da bateria.

    2 - este é algo minor: aumentar para dual core e a gráfica, apesar de aumentar ligeiramente o consumo basal, o real consumo da bateria so aumenta nas raras ocasioes onde o CPU e a gráfica são usados a um nivel avançado.

    Sao apenas 2 pequenas coisas, que em nada pretendem alterar o sentido da noticia, que está boa.

    ResponderEliminar
  2. @Anónimo
    Em área sim, mas em volume não. É preciso ter em conta que o novo iPad é mais fino que o anterior; daí que o tamanho da bateria em área não seja proporcional.

    Segundo o site iFixit:
    "Lifting off the LCD exposes the iPad 2's battery; A 3.8V, 25 Watt-hour unit. That's just a hair more than the original iPad's 24.8 Watt-hours."


    Quanto ao ponto 2, sim por isso mesmo é que se torna possível manter a autonomia em nível similares aos anteriores.
    (Já por aqui falei várias vezes que um CPU mais potente nem sempre equivale a mais gasto, pelo contrário, pode ser mais eficiente, fazendo o trabalho em metade do tempo, e passando o restante tempo em "low power".)

    ResponderEliminar

[pub]