2013/02/21

Sony apresenta PlayStation 4


Tal como se suspeitava, o evento da Sony de hoje foi dedicado à apresentação da nova consola da Sony, a Playstation 4. Muito já se tinha falado sobre o que esta nova consola iria trazer e a grande maioria das coisas estava correcta. Mas vamos então ver o que a Sony revelou.

A nova PS4 abandona o Cell e passa a usar um CPU x86 (de arquitectura idêntica à dos PCs), e com um GPU "modificado" que a Sony diz ser capaz de se aguentar a longo prazo. Uma medida que facilita a vida aos developers na adaptação dos seus jogos do PC para a PS4, de forma idêntica à que já acontece com a Xbox 360 (e certamente com a sua sucessora). Para todos os efeitos poderemos dizer que daqui para a frente, os jogos serão virtualmente indistinguíveis entre PC, PS4 e Xbox 720 (pelo menos até os PCs novamente passarem à sua frente).


E para não ficarem atrás dos rumores da Xbox 720... a PS4 também vai ter um CPU octa-core e 8GB de RAM! O CPU/GPU têm arquitectura unificada, com 170Gbps de largura de banda.

Actualização: aqui está a lista das características técnicas da PS4

  • CPU feito à medida com 8 cores x86-64 AMD Jaguar e GPU Radeon modificado capaz de 1.84 TFLOPS
  • 8GB de memória GDDR5
  • Disco rígido
  • Drive Blu-ray 6x/DVD 8x
  • Portas USB 3.0
  • Gigabit Ethernet, 802.11 b/g/n Wi-Fi, e Bluetooth 2.1
  • HDMI, AV-out, S/PDIF óptico
  • Controlador DualShock 4 com touchpad multitouch (2 pontos), giroscópio, acelerómetro, vibração, barra luminosa com 3 LEDs coloridos, coluna, ficha para headset stereo, micro USB, porta de expansão, bateria de 1000mAh
  • PlayStation 4 Eye camera, duas câmaras de 1280x800, lentes f/2.9, 85º de visão, focagem mínima a 30cm, array de 4 microfones




A acompanhar a PS4 surge o novo controlador DualShock. Com área sensível ao toque, um botão dedicado de "share", e barra luminosa e que é complementado por uma câmara 3D "à Kinect".


O que vai a Sony fazer com todo este hardware? Para começar, dizer adeus às frustrantes pausas e lentidões actuais. A PS4 estará sempre pronta a funcionar e a suspender um jogo sempre que o jogador quiser, sem atrasos. Mesmo os downloads serão feitos em background sem interferirem com o sistema, e será possível começar a jogar jogos mesmo enquanto estão a ser descarregados. (A Sony diz até que aprendendo com os hábitos dos jogadores, o sistema poderá até fazer o pré-download de um jogo que os jogadores provavelmente comprarão, para que esteja pronto a funcionar.)

É também possível criar clips de vídeo, para serem partilhados com os amigos, e também transmitir os jogos (até para a internet via Ustream) que estamos a jogar ou ver os amigos a jogar, com chat e sendo até possível "jogar" nas PS4 deles - tecnologia que se torna possível graças ao Gaikai, o sistema de jogos via streaming que a Sony comprou; e que também será usado para permitir jogar os jogos antigos (PS1, PS2, PS3) não só na PS4 como eventualmente em muitos outros dispositivos, em segundos e sem instalações ou demoras (mas por enquanto, não passam de intenções... por agora o que se tem é que a PS4 não será capaz de correr os jogos da PS3 de forma nativa).

O remote play é também uma forta aposta na PS4, permitindo jogar os jogos da PS4 na PS Vita; assim como inúmeros serviços multimedia, como Netflix, Hulu, Vudu, etc. (Faltará saber quantos estarão disponíveis em Portugal.) Existirão também apps que permitirão usar os Android e iOS como ecrãs secundários da PS4 (por exemplo, mostrando mapas dos jogos que se estão a jogar, etc.)


Depois seguiram-se as demonstrações dos jogos, com imagens de deixar o queixo caído:


Killzone Shadow Fall




Driveclub - um jogo "first person" de corridas automóveis com ênfase na componente social e desafios online, e onde cada veículo foi modelado ao mais ínfimo detalhe, incluindo o padrão da fibra de carbono, ou a direcção do tecido usado nos interiores e estofos (humm... e o novo Gran Turismo, não aparece?).


InFamous Second Son - um jogo para os fãs dos estados "Big Brother", em que teremos uma vasta rede de vigilância à disposição para lidar com todas as situações.


A Quantic Dreams mostrou como a potência da PS4 permite criar personagens digitais capazes de transmitir emoções humanas ao nível do que se vê nos filmes CGI... e agora possíveis em tempo real numa consola.


A Capcom e Square Enix também demonstraram algumas das coisas espectaculares que serão possíveis na PS4 (incluindo a demo Agni’s Philosophy do motor gráfico Luminous). A Ubisoft mostrou o seu Watch Dogs, que nos coloca na posição de um protector com acesso a toda a infraestrutura electrónica de uma cidade (mais parece um "Person of Interest" em versão videojogo. :) A Blizzard revelou que iria trazer o Diablo III à PS4 (e PS3) e a Activision mostrou em destaque o Destiny da Bungie.






E isto é apenas o levantar do véu, já que praticamente todos os developers e estúdios estão a bordo para tirar o máximo partido do hardware da nova PS4, permitindo criar novas experiências de jogo que começam a poder explorar o que os developers quiserem criar, sem ficarem limitados pelo hardware como acontecia nas consolas da geração anterior.

Depois da Nintendo ter revelado a Wii U, e a Sony desvendado esta sua PS4 (embora fique por saber qual é o seu aspecto físico e principalmente, o seu preço!) a bola fica agora do lado da Microsoft, que terá que mostrar uma XBox 720 que no mínimo terá que ser tecnicamente equivalente a esta PS4... ou superior.



P.S. Outra estranha ausência neste evento foi a referência a se seria possível jogar em resoluções 4K na PS4. Mas penso que isso será assunto para ser abordado nas próximas semanas/meses.

9 comentários:

  1. Podiam mostrar a consola em si ! porque mostrar o comando? Nao mostravam nada ou tudo !!

    ResponderEliminar
  2. acho k a playstation 3 quando saiu, tendo em conta a época em que saiu, tinha melhores especificações.
    Com isto quero dizer que a ps3 era muito mais avançada tecnologicamente para altura, do que esta parece ser agora... o CELL da ps3 foi uma revolução tal que comparavam a consola a Super servidores, ainda hoje a Intel corre atrás da Arquitectura do cell e dos seus 7 núcleos e a prova disso é o mundo actual, onde os dispositivos têm todos vários cores...
    Tenho muitas duvidas que esta máquina aguente uma década! Mais uma vez cometeram o erro de não ler os jogos das consolas anteriores, parace que foi tudo feito em cima do joelho e à pressa, só para mostrarem algo antes da XBox.

    ResponderEliminar
  3. Hummm! Realmente não faz sentido não terem mostrado a consola.Nem que fosse uma caixa sem nada lá dentro.
    Qual a pressa em mostrar o comando!?

    ResponderEliminar
  4. Podiam era ter mostrado umas gameplays, à excepção do killzone 4 eram só trailers. E mesmo a gameplay do watchdogs era num pc

    ResponderEliminar
  5. Bem basicamente o meu pc é melhor que a ps4? E tenho-o há já algum tempo. Ainda dizem que o mercado dos pc's tá morto... venha a steambox

    ResponderEliminar
  6. Do ponto de vista tecnológico a sony apresentou uma solução... curiosa.

    Finalmente temos espaço de memória unificado com boa largura de banda e em abundância. Isto sempre foi algo pedido pelos developers como John Carmak e companhia e finalmente foi pôr termo à fatídica gestão de uma memória de vídeo limitada! Por exemplo o CPU pode manipular vertex arrays para animações convenientemente na RAM e o GPU pode usar logo sem ter de fazer upload para a memória de vídeo. E finalmente os artistas não vão ter de se preocupar tanto com budgets de texturas!

    Do ponto de vista o GPU que fica algo na zona de uma amd hd78X0 penso que foi uma ponderação acertada entre performance, preço e tdp.

    Já os cores Jaguar é que me deixaram de pé atrás. Estamos a falar do sucessores dos bobcat que têm como target netbooks e tablets. É verdade que os Jaguar são um upgrade valente relativamente aos bobcat (http://www.techpowerup.com/180394/AMD-quot-Jaguar-quot-Micro-architecture-Takes-the-Fight-to-Atom-with-AVX-SSE4-Quad-Core.html) mas ainda assim algo me diz que vai ser um bottleneck para IPC em single-thread. Depois temos o gimmick dos 8 cores quando qualquer engine tem dificuldade um aproveitar mais de 3-4 cores (há excepções). Simplesmente acho que a escolha de CPU apenas parece ter levado em conta área (está no mesmo die que o GPU), consumo (nessa frente é maneirinho) e a falta de cache L3 não é grave devido ao facto de ter uma largura de banda de memória estupidamente elevada.

    ResponderEliminar
  7. Do que percebi a câmara 3D não é como a kinect... pk vai comunicar com o comando...
    e realmente a camara parecem apenas dois IV.
    Vamos aguardar, estou muito curiosa quanto a este aspecto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, não ficou explícito. Mas mesmo que fossem só duas câmaras, já muito se pode fazer para ir buscar informação pseudo-3D com qualidade razoável (via estereoscopia). Vamos lá ver o que dali sai.

      P.S. Mas também acredito que o Kinect 2 vá ser superior... :)

      Eliminar

[pub]