2014/06/19

Amazon apresentou smartphone Fire com ecrã "3D" e botão "Firefly"


Depois de se ter aventurado nos tablets, era mais que esperado que a Amazon avançasse para os smartphones - e depois de ter demorado o seu tempo a adicionar-lhe algumas funcionalidades únicas, chegou agora a vez de ficarmos a conhecer o que nos traz este Fire.

O Fire da Amazon não vai impressionar aqueles que procurarem a mais recente tecnologia. As suas características técnicas não são suficientes para o destacar da concorrência, com um CPU quad-core a 2.2GHz, GPU Adreno 330, 2GB de RAM, câmara de 13MP (com estabilização óptica e lente f/2.0) - e o ecrã de 4.7", embora recorra a um polarizador circular para melhorar a visibilidade no exterior e use Gorilla Glass 3, fica-se por uma resolução de 1280x720.

Mas a Amazon não fez este Fire para cativar aqueles que procuram os topos-de-gama do momento; e em vez disso apostou no factor diferenciação. Para isso recorre ao sistema que já tinha sido antecipado, com quatro câmaras, com as quais consegue criar efeitos 3D monitorizando continuamente a posição dos olhos do utilizador - e sim, consegue fazê-lo mesmo na escuridão completa, pois as câmaras utilizam luz infra-vermelha para ver sempre o utilizador (vamos lá ver que questões de privacidade isso levantará no futuro... :)

Para além de poder ser usado em jogos e diferentes apps para criar a ilusão 3D conforme a posição de onde olhemos, é também usado para fazer scroll e espreitar informação inclinando-se o Fire (coisas que alguns outros fabricantes já fazem usando apenas uma câmara, ou até somente os acelerómetros/giroscópio) - faltará ver se esta solução da Amazon se torna realmente mais eficiente... sem deixar de considerar o peso que todo este processamento e análise de imagem em contínuo terá na autonomia do Fire.


Outra das novidades é um botão dedicado "Firefly", com o qual um utilizador pode rapidamente apontar para qualquer produto (espera-se) e ser levado automaticamente para a Amazon para que possa ver informação sobre ele... e comprá-lo, obviamente. É devido a este botão que muitos já estão a rotular este Fire como uma "máquina de vendas" da Amazon, e que por isso torna mais difícil aceitar que o seu preço desbloqueado comece nos $649 dólares (com contrato e bloqueado começa nos $199, bem mais aceitável e ainda mais tendo em conta que inclui um ano do serviço Amazon Prime que custa $99/ano).

Agora terá que se esperar para ver qual será a reacção do público a este Amazon Fire, e em particular da "comunidade" que recorre a Amazon como centro da sua vida digital e de compras online. Se a Amazon tivesse colocado este Fire desbloqueado a um preço de $299, imagino que poderia intrigar muita gente e levar a que o pudessem considerar - mas a $649, parece-me que o seu destino fica traçado logo à partida em todos os mercados onde não estiver disponível a preço (bem) subsidiado com contrato.


3 comentários:

  1. E aqui está o smartphone que comprova o que digo sobre a banhada que são os processos de empresas como a Aptoid contra a Google.

    ResponderEliminar
  2. O OS é Fire OS que é uma fork do Android! Como a Nokia têm uma fork em alguns smartphones!

    ResponderEliminar

[pub]