2020/01/20

Lente de contacto digital da Mojo Vision promete super-visão para todos


A realidade volta a surpreender a ficção, tornando realidade uma lente de contacto capaz de projectar imagens directamente nos olhos do utilizador, podendo não só apresentar informação como também permitir que veja no escuro, e muito mais.

A Mojo Vision tem estado a trabalhar em lentes de contacto digitais há vários anos, mas desta vez não se limita a falar daquilo que irá ser possível... mas sim mostrando aquilo que já é possível hoje mesmo. A sua lente de contacto usa um diminuto display micro-LED com uma densidade de 14 mil PPI (para comparação nos smartphones topo de gama temos PPIs de 500-600), e por agora recorre a um sistema de alimentação. O mais surpreendente é que esta lente já é funcional e está a ser testada nos olhos por alguns membros da equipa.


Para além de poder apresentar a informação que tradicionalmente se associa a este tipo de produto (como poder mostrar mensagens directamente nos nossos olhos), uma das demonstrações da Mojo Vision é precisamente de como se pode ir muito mais além, dando aos utilizadores a capacidade de verem no escuro ao projectar nos olhos a imagem de uma câmara de visão nocturna. Mas, nada impediria que as imagens fosse uma compilação resultante dos dados captados por câmaras de visão nocturna, visão térmica, com zoom, de sensores 3D ToF, para dar uma "ultra-visão" ao utilizador.

E um pormenor curioso e que será seguramente desconcertante... é que tudo isto funcionará mesmo que a pessoa tenha os olhos fechados!


Ainda há muito trabalho pela frente, e ainda faltarão muitos anos até que estas lentes da Mojo Vision possam chegar ao mercado. Até lá a empresa vai melhorando os seus protótipos e trabalhando em versões que integram uma bateria e câmara directamente na lente.

Vamos lá ver que surpresas nesta área poderão já estar disponíveis no final da década... :)

2 comentários:

  1. Em jeito de brincadeira:) espero que as baterias não sejam das idênticas às do Samsung Note 7! O mundo ficava logo a parecer um livro de Saramago!

    ResponderEliminar

[pub]