2021/05/04

Cidade holandesa multada por tracking WiFi dos cidadãos

A entidade de protecção de dados holandesa multou o município de Enschede por fazer tracking dos cidadãos via WiFi e violar a sua privacidade.

A cidade holandesa queria ter dados sobre o tráfego pedonal no centro da cidade, e contratou uma empresa que instalou diversos postos WiFi em múltiplos locais, com os quais conseguia obter dados de todas as pessoas com smartphones que passassem por perto. A contagem das pessoas, por si, não seria um problema; o problema era que os dados estavam a ser mantidos durante tempo suficiente para permitir que pudessem ser associados entre múltiplos postos de tracking, fazendo com que a "contagem" se tornasse no "seguimento" dos cidadãos, permitindo saber que percursos faziam - sendo este o detalhe que levou à aplicação de uma multa de 600 mil euros.

É uma situação idêntica à que, por cá, tem evitado os sistemas de controlo de velocidade média. Há uns anos, na VCI do Porto, estava a planear aplicar-se um sistema que controlaria a velocidade média dos veículos, registando a sua matrícula em diversos pontos da VCI. Só que tal permitiria saber os percursos efectuados, e o projecto foi para a gaveta, limitando-se a fazer o controlo de velocidade habitual em cada ponto.

Para as pessoas, os sistemas de tracking WiFi são cada vez mais comuns; sendo prática comum nos centros comerciais há anos, que seguem os visitantes para saberem que lojas visitam, e até dentro de lojas de maiores dimensões, para saber por onde os clientes andam. E, além do WiFi, há também sistemas que fazem o tracking via Bluetooth, LTE, e até usando as câmaras de vigilância; pelo que, mesmo que alguém decida desactivar o Bluetooth e WiFi, não fica garantido que não esteja a ser seguido por outros meios.

Sem comentários:

Publicar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]