2013/09/24

MPAA e RIAA querem fazer Lavagem Cerebral desde o Jardim Infantil


A MPAA e a RIAA, eternas combatentes dos downloads, chamam-lhe campanha educativa - mas como todos os que já poderão ter visto qualquer uma das suas campanhas nos cinemas, TVs, DVDs, ou qualquer outro local onde se tenham infiltrado, não passa de uma tentativa descarada de fazer uma lavagem cerebral à população desde o mais cedo possível.

Sim, a MPAA quer agora infiltrar-se nas escolas primárias, e começar desde logo a incutir a mensagem de que não há nada pior do que partilhar uma música ou filme com um amigo. Aliás, não se cansam de referir que estas partilhas são muito piores do que tentarem copiar as respostas de um amigo num teste - e que aproveitar-se das ideias dos outros é algo "muito mau", pois está a reduzir os lucros das empresas afectadas. (Claro que conceitos como o "fair use" ficam esquecidos... afinal, isso não interessa para nada, já que não dá lucro.)

Felizmente, há quem esteja a alertar para o facto de isto não passar de pura propaganda corporativa, totalmente desadequada para o ensino e formação das crianças.



Mitch Stoltz, advogado da EFF relembra que Justin Bieber só ficou conhecido por ter começado a cantar canções de outros artistas no YouTube sem qualquer permissão. Segundo estes "ensinamentos", ele estaria a fazer uma coisa muito má e teria que temer ir parar à cadeia pelos seus actos.

Será realmente esse o futuro que se deseja criar?

Sem dúvida que o futuro de uma saudável economia digital passa pela educação - correcta - do que são direitos de autor e da sustentabilidade de um mundo onde os conteúdos digitais podem ser facilmente replicados e partilhados. Mas parece-me que isso é algo que terá que ser abraçado e promovido, e não reprimido e criminalizado.

2 comentários:

  1. Usar o Justin Bieber para demonstrar um exemplo positivo, é só por si errado!!

    ResponderEliminar

[pub]