2015/01/31

Falcon Heavy da SpaceX


A SpaceX é uma das empresas privadas que mais tem investido em tornar o acesso ao espaço mais fácil e acessível que nunca, e ainda este ano pretende por em operação o seu mais potente sistema de lançamento de sempre: o Falcon Heavy.

O Falcon Heavy será capaz de levar para o espaço cargas com o dobro da massa do que é actualmente possível com o mais potente foguetão em operação, mas mantendo um custo incrivelmente baixo (cerca de um terço.) E grande parte dessa redução de custos advém do facto do dos seus três "motores" poderem ser reutilizados, como nos mostra o vídeo que recentemente disponibilizaram a explicar o processo.

Para além da sua incrível capacidade de carga (que seria equivalente a colocar em órbita um Boeing 737 completamente carregado, com malas e passageiros), o Falcon Heavy pode igualmente lançar múltiplos satélites em diferentes órbitas, parando e reiniciando o seu motor no espaço - e mais importante ainda, foi concebido para ser usado como sistema de lançamento para a Dragon, a nave espacial que poderá levar humanos até Marte.


4 comentários:

  1. Ainda haverá um longo caminho a percorrer...
    http://youtu.be/YyZIuFXCswo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fossem todos os problemas esses (que não colocam em risco vidas humanas). :)
      Aparentemente terá sido apenas falta de fluido hidráulico... porque de resto, tudo estava a correr como previsto. Mas é assim que se aprende.

      Eliminar
  2. pessoalmente acho o conceito um bocado estúpido, reutilizar o que? o tanque de combustível...os motores?? pois só se for os motores, que vão ter de ser todos revistos desmontados e remontados, com o custo associado. e risco de falha também associado. para alem disso não pode gastar o combustível todo tendo de reservar parte não residual para a manobra de inversão total de trajetória, ajuste de altitude e aterragem.
    não é a primeira vez que se tenta obter elementos reutilizáveis na exploração espacial mas a conclusão foi sempre que os custos de revisão e "re-caixotagem" não compensavam.
    Para alem disso o conceito de privatizar o acesso ao espaço não me excita terrivelmente.

    ResponderEliminar
  3. Sobre a capacidade deste futuro foguete o em colocar em LEO (Low Earth orbit) um Boeing 737 so se for o mais levezinho de todos o 100 49.190 kg a capacidade anunciada do heavy para LEO é de 53 toneladas....
    para terem uma ideia das diferenças, o energia da antiga URSS metia la 100 toneladas o Saturno V que levou o pessoal a lua 118, o que esta a ser desenvolvido pela NASA 130. assim como o Long March da China:
    Este pretende competir com o Ariane 5 com mais capacidade a um preço mais reduzido para GTO.
    A ArianeSpace pretende responder com o mais leve ariane 6 com menos capacidade mas colocando em GEO logo. O ariane 5 ECA tem a capacidade de colocar em GTO 10 toneladas vs as 4.8 do falcon ou as 21 do heavy...

    ResponderEliminar

[pub]